A atriz compartilhou um desabafo que faz parte da rotina de muitas mães: a amamentação. É um momento íntimo e único entre mãe e filho mas não deve ser romantizado, afinal não é fácil para todas. Mãe de primeira viagem de um menino de 2 meses, aproveitou para falar sobre a importância deste momento, por mais que com ele venha junto algum desconforto. Ao mesmo tempo, alertou outras mães a procurar um médico caso a dor permaneça por muito tempo:

“Amamentar não é uma tarefa fácil, é importante que se diga isso. É importante que a mãe tenha todo o suporte e apoio pra conseguir cumprir essa missão. O início é hardcore, poucas pessoas falam disso. O início dura uma eternidade. Dói, cansa em um grau desesperador. A gente não dorme. Um dia você pode ter excesso de leite e empedrar, no dia seguinte pode não ter quase nada, justamente porque no dia anterior doeu. A dor bloqueia a ocitocina e aí o dominó químico hormonal trava. Só mais um de todos os paradoxos que nós, mulheres-contemporâneas-que-não-andam-de-peito-de-fora, temos que enfrentar. E a gente chora, chora..

É absolutamente normal que você fraqueje, pense em desistir. Por que algo tão natural pode ser sofrido? Será que desconectamos a esse ponto da natureza? Aí você descobre que uma candidíase mamária ou uma pega errada ou tudo junto ao mesmo tempo pode estar botando tudo a perder. É nessa hora que você chama ajuda. E não aceita o “é assim mesmo” que vem de todos os lados. Não é assim mesmo. Se dói muito e por muito tempo, tá errado. Busque ajuda. Não caia na cilada do “padecer sem paraíso” de uma amamentação problemática só porque todo mundo ao seu redor diz que isso é normal. Cobre esse paraíso, porque ele existe e você merece!

Hoje, posso dizer que estabilizamos nossa amamentação e curtimos esse momento só nosso. Amamentar é o início da importantíssima missão que é formar um indivíduo saudável, em todos os sentidos. Um cidadão pra esse mundo louco. Pede caverninha, concentração, entrega absoluta. É um trabalho intenso e sem folga. Mas é tão, tão compensador e lindo ver as bochechas, as coxas e as dobrinhas do seu bebê surgindo só com seu leite que tudo isso vale a pena. Descobri que a amamentação é uma nutrição mútua e é assim que deve ser. Não é pra ser sofrimento.

Cada mulher sabe o seu limite e uma boa mãe é, acima de tudo, uma mãe feliz. Se não aguentar, não se violente. Não se culpe por ter que dar fórmula. Mas se você realmente quer amamentar, ter essa postura quase rebelde (totalmente contraditória às demandas do nosso tempo) vale a pena dar uma insistida e atravessar a árdua jornada inicial. Tem um pote de ouro no final desse arco íris”

Comentários