Mapa de anomalia da temperatura da superfície do mar mostra significativo aquecimento das águas do Pacífico Equatorial Central e Leste nesta terceira semana de junho | Foto: Noaa / MetSul / OA
Mapa de anomalia da temperatura da superfície do mar mostra significativo aquecimento das águas do
Pacífico Equatorial Central e Leste nesta terceira semana de junho | Foto: Noaa / MetSul / OA

Mais uma vez, desde 2009, o fenômeno El Niño influencia o inverno brasileiro, principalmente o gaúcho, que este ano deve registrar chuvas acima da média para o período. No começo da estação, o fenômeno tem intensidade moderada. Contudo, com o passar das semanas as chuvas podem se tornar mais intensas, o que representa um grande problema para Alvorada, que enfrentou grandes cheias nos últimos anos, principalmente entre os meses de agosto e setembro.

Conforme boletins divulgados pela MetSul Meteorologia, o El Niño deve ter um significativo impacto no regime de chuva no Sul do Brasil neste inverno com precipitação acima da média em número de dias igualmente acima do normal, principalmente na segunda metade da estação.

Este ano a MetSul enfatiza que o dia 21 de junho marcou somente o início astronômico do inverno, mas que climatologicamente ele já acontecia no fim de maio, com registros de vários dias com temperaturas abaixo de zero no estado nos primeiros dias de junho.

E mais frio vem por aí, pois o inverno marca justamente o período mais gelado do ano, com ocorrências de ciclones extratropicais intensos no Atlântico Sul, responsáveis por impulsionar massas de ar muito gelado para o estado: o chamado vendo Minuano, que traz sensação térmica negativa, mínimas muito baixas, geada ampla e, em alguns casos, neve.

Quanto aos dias de calor, mesmo no inverno são normais, especialmente durante agosto e setembro, inclusive com sequências de vários dias quentes, o que este ano será intensificado pelo fenômeno El Niño que também tende a trazer temperatura acima da média no inverno com maior número de dias de temperatura amena ou elevada.

Durante o El Niño de 2009, o Estado registrou na segunda metade de julho uma das mais potentes ondas de frio dos últimos 30 anos e em agosto, uma sequência de dias de muito calor. Situação semelhante pode se repetir este ano.

Fonte: O Alvoradense