Aluno de 11 anos arrecadou vales com colegas e trocou por livros para primos e sobrinhos | Foto: Amanda Fernandes/OA
Aluno de 11 anos arrecadou vales com colegas e trocou por livros para primos e sobrinhos | Foto: Amanda Fernandes/OA

O primeiro dia de atividades da 13ª Feira do Livro de Alvorada foi marcado, sem dúvida, pela alegria das crianças.

Elas estavam por toda parte: assistindo às apresentações teatrais, fazendo pinturas no rosto com as recreacionistas ou aprendendo a desenhar, mas estavam, principalmente, carregadas de sacolas cheias de livros.

• FOTOS: Veja imagens do 1º dia
• SAIBA MAIS: Confira a programação

Em meio a tanto entusiamo, um sorriso se destacava. Tratava-se de Rodrigo Leandro, de 11 anos. Aluno do 5º ano da escola Normélio Machado, o estudante estava carregado de sacolas com presentes destinados aos irmãos mais novos e sobrinhos.

Rodrigo aproveitou o Vale Livro ofertado pela Secretaria de Educação (SMED) aos alunos da rede municipal de ensino para comprar presentes aos sete primos mais novos que ele. Para garantir livros para todos, ele arrecadou os vales dos colegas menos interessados em literatura.

O garoto afirmou que aproveitou a oportunidade para garantir os presentes, mas também para levar alguns livros para ele mesmo. Quando perguntado como seria a divisão dos mimos, ele apenas afirmou que os primos teriam que se organizar para que todos pudessem ler todas as obras que ele escolheu para a família. Nas sacolas ele carregava fábulas e aventuras que iriam entreter os pequenos durante algumas semanas.

Para o patrono da 13ª Feira do Livro de Alvorada, Dilan Camargo, esse primeiro contato com o sonho que o livro proporciona é o que forma os futuros cidadãos de uma cidade. Para o escritor, a atitude da SMED de disponibilizar os vales é uma das politicas mais interessantes para a inclusão cultural existentes no país.

O livro, garante, é a porta para a realização de todos os sonho. “O que foi iniciado, neste ano na Feira, é o acesso ao sonho de muitas crianças que talvez tenham a oportunidade de folhear um livro pela primeira vez”, analisou.

Livros tomaram a praça João Goulart, no Centro, desde quarta-feira | Foto: Amanda Fernandes/OA
Livros tomaram a praça João Goulart, no Centro, desde quarta-feira | Foto: Amanda Fernandes/OA

Fonte: Amanda Fernandes / O Alvoradense