Formatura aconteceu na Acial e já garantiu para os quase 200 alunos novas oportunidades de emprego | Foto: Sérgio Amaral / MDS  / Divulgação / OA
Formatura aconteceu na Acial e já garantiu para os quase 200 alunos novas oportunidades de emprego | Foto: Sérgio Amaral / MDS / Divulgação / OA

A última sexta-feira (1º) vai ficar marcada a memória dos 175 alunos de Alvorada que receberem seus certificados de conclusão dos cursos no Pronatec.

A Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, esteve na cidade para participar do evento.

Durante seu discurso ela destacou a importância para a cidade da formação destes novos profissionais, que devem incrementar a economia alvoradense.

“Hoje, já são 22 milhões de brasileiros que saíram da pobreza através do Brasil Sem Miséria, mas queremos mais, por isso é fundamental a qualificação profissional. Antes o curso de qualificação não tinha em vista a situação real da população de baixa renda. Com o Pronatec nosso público alvo tem cursos de qualidade e com material didático incluso, além de uma ajuda de custo”, completou.

Mais do que a qualificação para o mercado de trabalho, os alunos que receberam seus certificados saíram da Acial empregados. A parceria com o sistema S (Sesc, Sesi, Senai e Senac) e Celulose Riograndense garantiu uma oportunidade de emprego a todos os alunos que concluíram os cursos.

Roberto Silva Galia, 50 anos, que formou-se no curso de carpinteiro de obras e teve a carteira assinada na solenidade.

Segundo Rita Freitas Padilhas, do departamento de RH da Premold, empresa que contratou o recém-formado, a falta de mão de obra especializada cria oportunidade para todos os alunos e a organização vai realizar uma seleção com os novos candidatos.

O Rio Grande do Sul é o estado com maior número de inscrições nos cursos de qualificação profissional voltado às pessoas inseridas no Cadastro Único para os Programas Sociais do Governo Federal: desde 2011, foram 98,4 mil matrículas no estado. Em todo o país, até o momento, o Pronatec Brasil Sem Miséria já registrou mais de 800 mil matriculados.

Fonte: O Alvoradense