Local funciona como lan-house durante o dia | Foto: Samuel Silveira / OA

Que tal um ciberes-paço onde você pode encontrar amigos, acessar a internet e ouvir de jazz até a batida frenética da musica eletrônica?

Este é o Subtê Café, um espaço que há seis anos se diferencia de todos os outros conhe-cidos em Alvorada, e que pretende trazer ao público alvoradense lazer e cultura.

O projeto mescla internet, arte e música. Quem vê de fora acha que é simplesmente uma lan house, mas o ambiente proporciona não só lazer, mas arte e cultura. O Subtê Café vai além: no ambiente, você apreciará o projeto Jazz, realizado uma vez por mês – assim como pode curtir um documentário, do projeto Cineclube 48.

O jazz tem sua marca registrada nas paredes do espaço, assim como a arte. A exposição dos trabalhos da artista plástica Vera Junqueira é um exemplo. A mostra foi prestigiada por mais de 100 pessoas.

Segundo Paulo Inácio, dono do espaço, a ideia de trazer a exposição foi muito interessante. “Aproximar a comunidade da arte foi um grande aprendizado. A maioria aqui nunca teve contato com artes plásticas, e poder levar cultura a uma comunidade carente é enriquecedor.”

Para aqueles que ainda não viram, a exposição ainda se encontra no local. Para Inácio, o Subtê é um espaço democrático. “Nosso projeto é diferente, passam por aqui todos os tipos de pessoas. Nós oferecemos não só o jazz, mas a musica eletrônica e o rock. Aqui todos são contagiados por uma boa trilha sonora.”
Vários artistas já pisaram no Subtê, como Jorginho do Trompete, músico renomado nacional e internacionalmente.

Paulo Inácio diz ainda que há muitas atrações sendo preparados para o restante do ano. “Estamos com muitos projetos e iremos trazer, ao longo desse ano, muita gente bacana para nossa comunidade prestigiar”, conta, animado.

 

Fonte: Aline Vaz / O Alvoradense