Alvorada incluída na Operação Arca de combate ao tráfico de animais

No total 14 cidades gaúchas foram alvo das investigações da Polícia Civil

76
Foto: Polícia Civil / Divulgação / OA

Uma ação que visa combater o tráfico e caça ilegal de animais silvestres, maus-tratos aos animais e associação criminosa foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (25), cumprindo 44 mandados de busca e apreensão em 14 cidades gaúchas.

Chamada de Operaçao Arca, foi realizada pela equipe da 4ª Delegacia de Polícia de Canoas, com apoio do Comando Ambiental da Brigada Militar.

No total foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária e 44 mandados de busca e apreensão nos municípios de Alvorada, Barra do Ribeiro, Cachoeirinha, Canoas, Gravataí, Minas do Leão, Novo Hamburgo, Parobé, Portão, Porto Alegre, São Leopoldo, São Sebastião do Caí, Sapucaia do Sul e Viamão.

As investigações iniciaram há seis meses, após denúncias recebidas pela ONG Reprass, que noticiavam crimes contra animais e tráfico de armas. A associação criminosa é suspeita de comercializar diariamente, em grupos fechados e redes sociais, aves silvestres que chegavam a R$ 2.500,00 por espécime, além de outros animais silvestres como Coruja Suindara, Iguanas, Jabuti, Jiboia Albina, Macaco Prego e Macaco Sagui, Ouriço Pigmeu Africano e Tartarugas.

A quadrilha comercializava, ainda, armas longas ilícitas, destinadas à caça predatória dos animais.

A ação, que contou com apoio aéreo da Polícia Civil, teve a participação de 235 policiais civis e militares, além de agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).