Serviço é prejudicado pela falta de médicos | Foto: Jonathas Costa / Alvorada / OA

Durante a reunião do 24º Fórum de Redes de Alvorada, realizada na quinta-feira (4), entre outros temas surgiu a dificuldade enfrentada pelo Hospital de Alvorada com a falta de médicos no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O Fórum reúne representante das mais diversas esferas da saúde em Alvorada, tanto da rede governamental como particular.

Foi relatado que desde março há apenas uma médica plantonista, que atende a cada 48 horas à noite, sendo que nos demais horários, quando necessário, o Hospital cede o médico para acompanhar pacientes que precisem se deslocar a Porto Alegre. “Desta forma, por algumas horas ficamos com um profissional a menos no Hospital, até que a ambulância retorne”, lamenta Elisângela Silveira, assistente social do Hospital de Alvorada.

Mas o caso é ainda mais preocupante. Conforme o Conselho Municipal de Saúde, Alvorada perdeu 80% do repasse para o Samu graças à falta de equipe completa, composta por médico, enfermeiro, técnico em enfermagem e condutor socorrista. “O ideal seriam cinco ou seis médicos trabalhando com Urgência no município”, reintera Elisângela. O repasse, que vem dos governos Federal e Estadual, é proporcional à equipe de trabalho.

Saúde
Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ocorreu concurso para contratação de médicos para o Samu em 2015, mas não houve grande procura e os médicos que foram contratados através deste concurso pediram demissão.

Em nota da Coordenadoria de Comunicação Social, a Prefeitura de Alvorada informa que um novo concurso para contratação de médicos está previsto para 2017 e vai contar com sete vagas para o Samu.

Fonte: O Alvoradense