Maioria dos jovens são vindos das escolas Antonio de Godoy e Emília de Oliveira | Foto: Mariú Delanhese / OA

Um novo projeto, considerado pelos envolvidos o mais ambicioso, teve sua primeira fase concluída essa semana. É o longa “Alvorada Z”, produzido pelos jovens estudantes do Projeto de Produção Audiovisual Clube das 5.

O grupo é coordenado pelos professores André Bozzetti e Adailton Moreira, que admitem que a ideia do longa metragem surgiu dos alunos, maioria vindos das escolas Antonio de Godoy e Emília de Oliveira. A vontade de realizar essa produção, contam os jovens, surgiu já na primeira integração entre os núcleos do Clube das 5, que aconteceu em julho último.

A história é originalmente do professor André, mas o novo roteiro foi elaborado coletivamente no grupo, do qual também participam ex-alunos da rede municipal. “Trocamos de escola, mas seguimos no Clube das 5”, comemoram os mais velhos. A idade dos participantes está entre 13 e 18 anos.

As filmagens começaram em final de outubro, mas o trabalho chegou a ser refeito, pois o resultado inicial não correspondia à expectativa de todos. Foram cerca de 15 encontros apenas na fase de produção (filmagens), e mais uma quantia semelhante na pré-produção (desenvolvimento do roteiro, ensaios, testes de maquiagens etc). Assim foram usados os horários livres de professores e alunos, que contaram com o apoio da diretora Katia Felício, da Escola Municipal Antonio de Godoy, que abriu as portas da escola para as filmagens e reuniões.

A diretora considera que o projeto seja da comunidade por ir “além dos muros da escola”, se referindo à autonomia, iniciativa, protagonismo e, principalmente, integração entre os cerca de 30 jovens envolvidos e seus familiares. Por enquanto o grupo sai em férias, devendo retomar a conclusão das filmagens entre março e abril, com estreia programada ainda para o primeiro semestre de 2016.

Clube das 5
O Clube das 5 surgiu em 2013 como uma oficina ministrada pelo professor de Educação Física e apaixonado por cinema André Bozzetti, após o período de aulas na escola Emília de Oliveira. Em julho de 2014 ele foi chamado na Smed para ampliar o projeto para outras escolas, sendo que hoje o Clube das 5 também acontece em núcleos da Antonio de Godoy, Aparício Borges, Alice de Carvalho e Florestan Fernandes.

“A grande diferença agora não é só o tamanho do filme, mas principalmente a qualidade técnica, de produção e atuação que estão trazendo para o trabalho”, elogia André.

Neste caminho outro apaixonado pela sétima arte se juntou ao projeto, Adailton Moreira, e hoje os dois fazem pós graduação em Cinema.

Vários foram os curtas produzidos pelos núcleos que concorreram e participaram de diversos festivais nacionais e também internacionais. Contudo, para Alvorada Z os professores não encontram um festival adequado, pois não há registros de competições escolares com produções de longa metragens.

Fonte: O Alvoradense