Anuncio oficial acontece na segunda-feira, no Palácio Piratini | Foto: Camila Domingues / Palácio Piratini / OA
Anuncio oficial acontece na segunda-feira, no Palácio Piratini | Foto: Camila Domingues / Palácio Piratini / OA

Após o afastamento de membros do considerado primeiro escalão do Meio Ambiente no Estado e em Porto Alegre, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) tem novos titulares.

Neio Lúcio Fraga Pereira (PCdoB) assume na próxima quinta-feira a Sema e Nilvo Alves da Silva a Fepam. Os nomes foram confirmados pelo governador Tarso Genro na segunda-feira.

Desde junho de 2011 à frente da direção do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Neio tem o desafio de acelerar os principais projetos da Sema e resgatar a autoestima dos servidores, abalados após o escândalo de corrupção.

O governador afirmou que a escolha resultou de reuniões com aliados da base e levou em consideração a qualidade técnica dos novos titulares. “Neio foi um nome consensual, de alta qualidade, experiente, e que tem a confiança do seu partido e do governador”.

Tarso disse que o objetivo é acelerar a implantação do Sistema Integrado de Regularização Ambiental (Siram), um programa custeado pelo Banco Mundial, estimado em US$ 8,9 milhões, e que voltará a ter o acompanhamento estratégico da Sala de Gestão.

O governador também destacou a experiência do novo presidente da Fepam. “Um quadro do porte de Nilvo terá maior desembaraço para dar andamento a essas modificações institucionais e tecnológicas. Esse padrão dos pedidos de licenciamento que vem dessa proposta do Banco Mundial vai facilitar muito o trabalho”. A posse de Nilvo, que trabalha na ONU na Dinamarca, deve ocorrer em até duas semanas.

Operação Concutare
Os ex-secretários do Meio Ambiente do Governo do Estado, Carlos Fernando Niedersberg (PCdoB), e de Porto Alegre, Luiz Fernando Záchia (PMDB), foram presos no dia 29 de abril pela Polícia Federal.

A operação batizada de Concutare investigou crimes ambientais e de lavagem de dinheiro. Os secretários são investigados pelo suposto envolvimento no recebimento de recursos ilegais na liberação de licenças ambientais.

Ambos foram afastados dos seus cargos no mesmo dia da prisão. Já a então titular da Fepam pediu afastamento no dia 30, justificando que se sentia “incomodada” com as investigações da Operação Concutare.

Fonte: O Alvoradense