Foto: Reprodução / OA

Desde sábado, 1º de maio, centenas de pessoas ocupam uma área de terra localizada no final da avenida Salomé, bairro Maria Regina. No local foram erguidas peças de madeira e barracas.

Conforme os coordenadores da ocupação, são cerca de 700 famílias alvoradenses, cadastradas em projetos habitacionais e que reivindicam moradia. O desemprego e as dificuldades financeiras os teriam levado a reivindicar a desapropriação daquela área, que é privada, e que ocupa 174 hectares.

Os coordenadores da ação alegam que o terreno não está sendo utilizado, o que configura descumprimento de sua função social. Entre os ocupantes, 57 idosos, nove portadores de necessidades especiais e 410 crianças.

No final de semana as famílias receberam o apoio do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que fez a doação de alimentos e marmitas.

Reintegração de posse

Imediatamente após a notícia da ocupação, os proprietários da área entraram na justiça com pedido de reintegração de posse que lhes foi concedido.

Segundo o Tenente Coronel Jefferson, comandante do 24º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Alvorada, a partir do mandado judicial, a Brigada Militar passa a planejar a ação, que será realizada em conjunto com o Poder Judiciário e proprietários. Se necessário, também a Prefeitura de Alvorada será acionada.

O comandante ressalta que a desocupação é uma ação extraordinária que envolve planejamento e logística por parte das autoridades, além de gerar custos, pois é necessário reunir tropas e meios materiais de apoio aos moradores que permanecerem no local. “Eles serão informados da desocupação, para terem tempo de sair pacificamente”, garante o Tenente Coronel Jefferson.

- PUBLICIDADE -