Acidente não deixou feridos | Foto: Samuel Silveira / OA

A noite de terça-feira foi escorregadia na altura da parada 44 da Avenida Getúlio Vargas. A combinação entre óleo e areia espalhados na pista causou uma sequência de acidentes e quase acabou em tragédia.

Por volta das 20h duas motos derraparam ao passar em alta velocidade pela curva. O motivo seria o óleo que estava espalhado pelo local e que, segundo o Corpo de Bombeiros, não se sabe a origem. Acionados, os bombeiros decidiram espalhar areia que estava no canteiro central pela pista para absorção do óleo.

A decisão, no entanto, acabou piorando a situação. Sem sinalização o local se tornou cenário de derrapagens e duas delas, pelo menos, acabaram em colisão. Por volta das 21h, um Astra acabou subindo a calçada e colidiu contra um muro. Um veículo que estava estacionado sobre a calçada acabou sendo atingido pelos destroços. Segundo testemunhas, cerca de dois minutos após a colisão, um motorista pilotando um Pálio também perdeu o controle do veículo. O carro acabou parando dentro de uma agência bancária em construção.

O Corpo de Bombeiros foi novamente acionado, mas chegaram cerca de duas horas e meia depois. Agentes da Brigada Militar passaram pelo local antes disso, no entanto, se recusaram a realizar a limpeza da pista e decidiram sinalizar o local com galhos de árvore. Não adiantou. Cerca de 20 minutos depois um terceiro veículo derrapou. Gian da Silva Mengue perdeu o controlo de um Gol e parou há poucos centímetros de um poste.

Somente às 23h20min o Corpo de Bombeiros voltou ao local. Desta vez com a ajuda da BM, os agentes sinalizaram a pista e varreram o local com vassouras emprestadas por moradores. Segundo a corporação, os responsáveis pela limpeza e sinalização da pista são os agentes de trânsito, vinculados à prefeitura. O departamento de trânsito, no entanto, não funciona à noite.

Flagrante mostra veículo derrapando no local | Foto: Samuel Silveira / OA

Fonte: O Alvoradense