Havia um conselheiro tutelar no interior do prédio no momento do atentado | Foto: Jonathas Costa  / OA
Havia um conselheiro tutelar no interior do prédio no momento do atentado | Foto: Jonathas Costa / OA

Um suposto artefato explosivo foi arremessado na madrugada desta sexta-feira (23) contra o Conselho Tutelar. Houve um princípio incêndio no prédio localizado na rua Contabilista Vítor Brum, próximo à prefeitura.

Segundo informações de testemunhas, um homem teria quebrado uma das janelas do prédio e jogado o artefato explosivo. O princípio de incêndio foi combatido pelo Corpo de Bombeiros, acionado por volta das 3h. Parte do material foi recolhido e encaminhado para a perícia da Polícia Civil.

O conselheiro tutelar André Lutz, que estava no interior do prédio no momento do atentado foi encaminhado ao Hospital de Alvorada para observação. André, dormia quando o artefato foi lançado e acordou quando as chamas começaram a estourar os vidros do local.

Ele conseguiu fugir pelos fundos da instituição, mas foi encaminhado para observação com dificuldades de respirar devido a inalação de fumaça e ardência nos olhos. 

Outro caso, no começo da noite de quarta-feira (22) deixou um homem ferido depois de ser atingido por um coquetel molotov no jardim Algarve. O homem segue hospitalizado no Cristo Redentor, em Porto Alegre e seu estado de saúde inspira cuidados. 

Em dois dias, este é o terceiro caso de ataque com artefato explosivo à repartições públicas ou residências. Nessa quinta-feira (22), dois crimes ocorreram em sequência em Porto Alegre e em Eldorado do Sul. Na Capital, o prédio da Justiça Militar foi alvo de um coquetel molotov, que causo incêndio por volta da meia-noite. De acordo com testemunhas, o artefato partiu de um carro de cor branca.

Cinquenta minutos depois, a casa do prefeito Sérgio Munhoz, em Eldorado do Sul, também foi atingida por um artefato explosivo. Conforme a Polícia Civil, portas, janelas e telhado da residência, localizada no bairro Sans Souci, foram danificados. Munhoz e a família, que estavam na casa no momento do ataque, saíram ilesos.

Fonte: O Alvoradense / Com informações do Correio do Povo