Audiência pública discute alternativas para crise no transporte metropolitano

Foi proposta a criação de comissão especial para debater o assunto

164
Foto: Reprodução / TV ALRS / OA

Com objetivo de fazer um diagnóstico do cenário atual e construir soluções viáveis para a sustentabilidade do sistema de transporte metropolitano de Porto Alegre, a Assembleia Legislativa realizou audiência pública na manhã desta terça-feira (31), proposta pela deputada Estadual Patrícia Alba (MDB), titular da Comissão de Assuntos Municipais.

“Precisamos pensar em um transporte público sustentável, acessível e de qualidade. É necessário o engajamento de todos os entes envolvidos nessa situação”, afirmou a parlamentar, enfatizando que o Governo do Estado deve participar, buscando encontrar um caminho para que o sistema siga operando.

No encontro, ficou acertada a criação de uma comissão especial para tratar do tema pelo período de 30 dias.

Essencial

Contextualizando o cenário atual, o presidente da ATM, José Antônio Ohlweiler, diretor da empresa Soul, destacou que o setor vinha enfrentando dificuldades nos últimos anos.  Porém, com a pandemia e a série de restrições impostas para prevenção, a situação se agravou. Houve uma queda de 45% no número de passageiros em 2020.

“Não podemos esquecer que se trata de um serviço público essencial, segundo a lei estadual. O Estado já reconheceu um desequilíbrio de R$ 63,5 milhões no sistema referente ao ano passado. É urgente encontrar uma solução”, afirmou o empresário alvoradense, destacando que a entidade elaborou sugestões e apresentou medidas de curto, médio e longo prazo ao Poder Público.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio Grande do Sul (Setergs), Fabiano Rocha Izabel, pontuou que a atividade vinha se mantendo sustentável até o início de 2020. Com as dificuldades à época, eram realizados ajustes e correções de rumo. No entanto, com o contexto trazido pela pandemia, o modelo atual não funciona mais, segundo o dirigente. A partir de exemplos de municípios do Rio Grande do Sul e de fora, Fabiano defendeu que Fabiano defendeu que a criação de um subsídio está entre as principais iniciativas, poderá reduzir a tarifa para o cliente e gerar possibilidades de novos investimentos de sustentabilidade para o transporte público da Região Metropolitana.

Pacto

Presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal) e prefeito da Capital, Sebastião Melo propôs a criação do Fundo Nacional de Transportes e a redução de impostos para o segmento. “O Governo do Estado não pode se ausentar do debate. O Governo Federal também não. Hoje, os municípios estão no olho do furacão”, ressaltou. Melo defendeu, ainda, a construção de um pacto para viabilizar o sistema, que corre o risco de colapsar em diferentes regiões do país.

A audiência contou ainda com a participação de representantes de prefeituras da Região Metropolitana, do superintendente da Metroplan, José Sperotto, do líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Frederico Antunes (Progressistas), e de representante do Sindimetropolitano, entre outras lideranças.