Brigada fecha asilo clandestino na Piratini

Idosos e pessoas com deficiência eram tratados com negligência

533

Por iniciativa do Serviço de Assistência Social de Porto Alegre, PMs do 24º Batalhão de Polícia Militar (BPM) estiveram na quarta-feira (29) na rua Olegário José Guimarães, bairro Piratini, onde funcionava uma instituição não credenciada, de atendimento a idosos.
No local a guarnição se deparou com várias pessoas idosas e com deficiência física e em situação de maus tratos, adoentadas, sem medicação ou atenção. A denúncia foi feita a partir de uma mulher, que foi encaminhado ao Hospital de Alvorada por maus tratos e negligência.

Conforme apurado, três pessoas estavam no local de forma ilegal, ou seja, sem autorização judicial, sendo entregues aos que gerenciavam a casa (todos da mesma família) pelo Hospital Vila Nova, de Porto Alegre, sem embasamento jurídico. Eles admitiram que eram remunerados pelas famílias, através da concessão dos benefícios dos pacientes.

Ainda de acordo com os PMS, durante a apuração dos fatos, houve a tentativa de remoção dos pacientes para atrapalhar a ação policial. Também participaram da ação a Vigilância Sanitária de Alvorada, UBS Piratini, Agência de Saúde e Ação Rua e Osicom de Porto Alegre.
Diante dos fatos, a autoridade policial instaurou Inquérito Policial baseado nos Estatutos da Pessoa com Deficiência e do Idoso, sendo a ocorrência registrada na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Alvorada.

Fonte: O Alvoradense