Quatro dos dez veiculos atingidos tiveram perda total | Foto: Reprodução RBSTV
Quatro dos dez veiculos atingidos tiveram perda total | Foto: Reprodução RBSTV

O comandante-geral da Brigada Militar (BM), coronel, Fábio Fernandes, admite a hipótese de integrantes da corporação terem participado do incêndio que danificou 10 viaturas no pátio da Academia de Policia Militar no dia 24 de fevereiro.

A hipótese de participação de integrantes da BM como autores do incêndio havia sido levantada na ocasião, mas apenas agora o comando admitiu que os causadores do incêndio possam ser integrantes da corporação.

Mesmo admitindo a provável participação de policiais, o comandante desconhece os motivos que teriam levado os autores a iniciar o incêndio. Fernandes afirma que o laudo final da perícia está sendo aguardado para embasar as investigações.

Servidores que estavam no local, no dia do ocorrido, foram ouvidos, e imagens das câmeras de segurança também devem contribuir para a análise da movimentação de pessoas no entorno da academia.

A previsão é de que o inquérito seja concluído em até 40 dias. A BM aguarda a reposição das viaturas que foram danificadas, que faziam parte de um convênio com a Secretaria Nacional de Segurança Pública e seriam destinadas à fiscalizações nas fronteiras do Estado. O fogo atingiu dez veículos, dos quais quatro ficaram totalmente destruídos. As caminhonetes, que têm custo de R$ 90 mil cada, não possuíam seguro.

Fonte: O Alvoradense / Com informações Correio do Povo