Foto: Cesar Lopes / PMPA

Na quarta-feira (5), a Câmara de Vereadores de Porto Alegre aprovou a abertura do processo de impeachment contra o prefeito da Capital, Nelson Marchezan (PSDB). Após a decisão, serão sorteados três vereadores para formar uma comissão que avaliará, em 90 dias, o impeachment de Marchezan e o colocará em votação. Diferente da votação de abertura, para depor o prefeito, será necessária aprovação de dois terços dos vereadores.

Este é o sexto pedido de impeachment feito contra o prefeito de Porto Alegre. No último, em outubro de 2018, o processo havia sido recusado em uma votação apertada: 16 à favor e 18 contra. O argumento deste impedimento é o uso de R$ 2,4 milhões do Fundo Municipal de Saúde para gastos com publicidade.

Marchezan explicou que o gasto em publicidade foi feito com valores de um Fundo Municipal que havia sido aprovado pela Câmara no ano passado.