Foto: Arquivo / OA

Na tarde de sexta-feira (30) aconteceu sessão extraordinária na Câmara de Vereadores, quando foram votadas Leis envidas pela Executivo relativas ao valor dos vencimentos de prefeito, vice, secretários e vereadores, em cumprimento do artigo 49, inciso IV da Lei Orgânica Municipal.

Assim, a partir de 1º de janeiro de 2017, conforme Lei Municipal 3023, de 30/09/16 o prefeito passa a receber R$ 18.900,00, vice-prefeito R$ 12.500,00 e secretários Municipais R$ 11.070,00. Já os vereadores ficam com os subsídios fixos em R$ 11.070,00, pela Lei Municipal 3024.

Apesar do projeto ter sido aprovado por unanimidade, vários vereadores afirmam que não participaram para sessão extraordinária.

O presidente da Câmara, vereador Gerson Luis, afirma que não houve aumento de subsídios, apenas a correção do índice do IGPM (9,8%). “Votamos a Lei por que é necessário votar pra outra legislatura. Mantivemos o mesmo valor dos subsídios”, garante Gerson.

Sima
Na noite desta terça-feira (4), durante a sessão ordinária da Casa Legislativa, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (Sima) entregou nota de repúdio à mesa diretora, classificando o ato como um “escrachado achaque à população de Alvorada, que tanto sofre com a falta dos serviços mais básicos, e, acima de tudo, aos servidores públicos municipais que estão sem receber as reposição salarial que lhes é assegurada em lei”. Mais adiante o documento afirma, ainda, que “Esta situação foge à lógica da moralidade administrativa”.

Rodinei Rosseto, que reassumiu a presidência do sindicado esta semana, após concorrer a prefeito nas eleições 2016, afirmou que a entidade vai tentar reverter a lei, com ação judicial, já que a Prefeitura afirma que está no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal e ao mesmo tempo promove um aumento nos mais altos salários da administração municipal.

Fonte: O Alvoradense