Lodo, mato alto, falta de iluminação e infestação de ratos do tamanho de gatos. Este é o cenário de abandono em que vivem animais e funcionários no Canil Municipal de Alvorada. Localizado em uma estrada de chão batido no Distrito Industrial, o local sofre com problemas estruturais há anos.

Os problemas iniciam logo na entrada no canil, onde em dias de chuva uma imensa poça de lama exige que a entrada no pátio seja feita com o auxílio de um veículo. O falta de poda da grama impressiona. O mato chega a medir mais de um metro. “Já foi pior”, conta uma servidora que preferiu não ser identificada. Ela aponta para a janela do prédio aonde a altura da grama chegou a encostar. O último corte ocorreu no final de março e um novo pedido encaminhado para a prefeitura no início de abril.

Confira a galeria de fotos que mostra o estado atual do Canil Municipal

O que também aguarda o reparo da prefeitura são as baias onde são armazenados alguns animais após procedimentos cirúrgicos ou aqueles que apresentam maior perigo. Quebradas, elas aguardam um soldador que nunca chega. “Já perdi a noção do tempo que enviamos encaminhamento para eles resolverem. É mais de ano”, revela a funcionária.

Cães vivem em condições precárias | Foto: Jonathas Costa
Cães vivem em condições precárias | Foto: Jonathas Costa

Com o período de chuvas se aproximando, outros problemas se somam. Algumas dezenas de animais não têm espaço garantido dentro do prédio e ficam à mercê do clima. Os cercados, feitos com arames simples e fáceis de arrebentar, ficam em uma área de chão batido. O acúmulo da água da chuva diminui ainda mais o espaço dos animais. As casinhas são improvisadas, resultado de doações ou da criatividade dos poucos servidores que atuam no local. Eles, aliás, são apenas quatro, para cuidar dos mais de 60 animais.

A superlotação do canil, inclusive, levou ao fechamento parcial do local. Desde então, só animais que estejam muito doentes ou feridos são acolhidos. A falta de pessoal também faz com que a única servidora responsável pelo administrativo também auxilie em alguns procedimentos cirúrgicos. O alento, em meio a tanto sofrimento, fica por conta da medicação e da ração, que são abundantes e não faltam para atender as necessidades dos animais.

Ratos por toda parte
Não bastasse a grande quantidade de cães, outros animais também disputam espaço com os cachorros no canil. São os ratos. Eles não são poucos e nem pequenos. Alguns, aliás, chegam a parecer gatos. “Isso é um risco para todos”, explica a servidora.

Sem veneno para combatê-los e até mesmo pelo risco que sua aplicação geraria aos cães, a solução seria a construção de um muro envolta do canil, pedido que parece muito grande para um local onde a espera pela troca de uma lâmpada pode levar meses.

Sem resposta
Os funcionários do canil colecionam circulares internas com pedidos de providências encaminhados para a prefeitura. Alguns sequer receberam retorno. Procurada, a prefeitura ficou de responder à reportagem sobre os diversos problemas encontrados no local, o que não ocorreu até o fechamento desta matéria*.

*: A matéria foi originalmente publicada na edição impressa d’O Alvoradense de 29 de maio. Consultada a direção do canil informou nesta terça-feira (30) que foi realizado o serviço parcial de drenagem, poda de grama e instalação de britas nas baias dos cachorros.

Fonte: O Alvoradense