Três homens com histórias de vida diferentes, mas unidos por um mesmo mal. Assim foi marcada a semana que passou em Alvorada.

Um era jovem, apaixonado pelo tradicionalismo gaúcho e dançava no CTG Amaranto Pereira, o outro tem 41 anos e dirigia no momento do acidente, e o terceiro, um idoso de 67 anos, estava à caminho do hospital. Os três realizavam tarefas comuns do dia-a-dia quando cairam, desfalecidos no chão. Dois deles, no entanto, não resistiram.

Com 15 anos, após uma apresentação de dança, Felipe Amaranto colocou a mão no peito e caiu desmaiado. Natural de Esteio, o adolescente foi socorrido mas acabou morrendo no hospital.
O senhor de 67 anos, identifiado como Carlos Henrique Villagran da Cunha, aguardava o ônibus na Avenida Piratini para uma consulta médica quando, depois de um mal estar, caiu já morto em frente à Igreja Nossa Senhora da Saúde.

Já o motorista, Sandro Morais, desmaiou , perdeu o controle do veículo, bateu de frente com um caminhão, rodopiou na pista e se chocou frontalmente com outro veiculo. Mesmo sem cinto, ele foi encaminhado consciente ao Hospital de Alvorada. Os três casos tiveram a mesma causa: o mal súbito.

O que é?

Mal súbito é uma defesa do organismo que causa desmaio quando, por alguma razão, o fluxo sanguíneo não consegue irrigar o cérebro de forma adequada. Sem oxigênio para os neurônios a pessoa perde parte, ou todas, suas capacidades cognitivas, resultando na perda de consciência. Co

m o desmaio e a queda o sangue não precisará mais lutar contra a gravidade para chegar até o cérebro. As causas do mal súbito variam e merecem atenção.

Problemas como arritmias cardíacas, entupimento de artérias, pressão baixa e até sangramentos podem interferir na circulação do sangue e impedir que ele chegue ao cérebro. Casos de desidratação ou hipoglicemia (baixa concentração de glicose), quando também não existem nutrientes suficientes para o bom funcionamento do cérebro causam o mal súbito.

Suas causas ainda podem estar relacionadas a distúrbios e doenças – derrames, infecções ou epilepsia – que atingem diretamente o cérebro atrapalhando suas funções cognitivas.Emoções fortes podem fazer uma pessoa desmaiar já que o mecanismo que desencadeia o mal súbito é o mesmo que faz a pessoa desfalecer quando sente uma dor intensa.

Na hora há uma descarga de adrenalina de adrenalina enorme e esta substância em excesso no corpo provoca uma vasoconstrição. Resultado: com as artérias diminuídas o sangue chega com dificuldade e em pouca quantidade ao cérebro.
Em crianças pode ocorrer nos primeiros três meses de vida e está relacionada a fatores genéticos hereditários, sendo mais frequente em filhos de mães fumantes.

Em jovens e adultos, sedentários ou atletas, a grande maioria acontece por doenças do coração ou por excesso de esforço físico.  Na maioria dos casos são provocadas por arritmias do ciclo cardíaco que levam a uma queda do rendimento, faltando sangue no cérebro.

O uso de certos medicamentos como descongestionantes, os utilizados para tratar depressão, para emagrecer ou drogas também podem aumentar o risco.

 

Fonte: O Alvoradense