Grupo ficou 14 dias em isolamento, quatro a menos que o previsto inicialmente | Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

Após um café da manhã festivo de despedida, a Base Aérea de Anápolis já está preparada para a cerimônia que marcará o fim da quarentena de 14 dias para 58 brasileiros que foram resgatados em Wuhan, China, epicentro dos casos de coronavírus no país asiático. A cerimônia de conclusão da Operação Regresso à Pátria Amada Brasil teve início às 10h30min deste domingo, após o resultado negativo para coronavírus obtido após a terceira análise, colhida na sexta-feira e concluída ontem –  os exames foram realizados pelo Laboratório Central do Estado de Goiás e pela a Fundação Oswaldo Cruz.

Estavam presentes, além dos repatriados, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do Ar Antônio Carlos Moretti Bermúdez, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, o prefeito de Anápolis, Roberto Naves, e representantes do Ministério da Saúde, Anvisa e secretaria de Saúde do Governo de Goiás.

O grupo chegou ao hangar onde foi realizada a cerimônia e assistiu a um vídeo sobre a operação de resgate e seu planejamento. A edição destacou imagens do presidente Jair Bolsonaro e de Caido. Além disso mostrou imagens do alojamento onde os brasileiros ficaram e reproduziu o áudio do presidente que foi transmitido no avião quando os repatriados entraram no espaço aéreo brasileiro.

O vídeo faz ainda uma homenagem aos militares e civis envolvidos na operação. Duas crianças do grupo de repatriados entregaram ao ministro da Defesa dois quadros com a bandeira do Brasil, com a assinatura dos brasileiros resgatados. Azevedo disse que o presente será entregue ao presidente Bolsonaro. “É um alívio que todos os exames deram negativo para a doença (coronavírus). Que Deus os acompanhe e bom retorno”, disse Azevedo e Silva.

Dois berços, que foram utilizados no confinamento, foram colocados no hangar com os nomes das crianças que os usaram nos 14 dias e as placas foram entregues às duas mães dos dois bebês, Isabela e Mateus. O momento de entrega foi de bastante emoção. Foi exibido ainda um vídeo com repatriados agradecendo o resgate, à China e desejando força à cidade de Wuhan.

Destinos

A operação trouxe de volta ao País um grupo de 34 brasileiros, entre adultos e crianças, que pediu para deixar a região que se transformou no centro de contaminações. Os repatriados estavam acompanhados por mais 24 tripulantes, entre equipes de voo, médicos e pessoal de comunicação. Com o fim da quarentena, os resgatados partirão ainda pela manhã em voos da Força Aérea Brasileira (FAB) para suas cidades. 

Um grupo com 20 deles irá para Brasília, sendo nove repatriados, nove militares, um profissional do Ministério da Saúde e um profissional da EBC. Dois dos passageiros para Brasília seguirão em voos comerciais para o Maranhão e o Rio Grande do Norte. Outro grupo de 13 passageiros irá para São Paulo, com 11 repatriados, um militar e uma integrante do Ministério da Saúde. 

Cinco repatriados serão levados pela FAB para o Paraná, três para Minas Gerais e uma para o Pará. Apenas um repatriado permanecerá em Anápolis, enquanto onze militares que também ficaram em quarentena irão para o Rio de Janeiro.

Hoje, no Brasil, há apenas um caso suspeito de coronavírus – no Rio de Janeiro – e 52 casos investigados já foram descartados. Nesse sábado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) foi notificada de 599 novos casos de coronavírus, sendo 397 na China. Balanço mais recente também divulgado pela OMS aponta que 2359 morreram em decorrência da infecção e outras 77,7 mil estão infectadas pelo vírus.