Presença de algas no Rio Gravataí tem gerado o problema do cheiro e gosto ruim | Foto: Jonathas Costa / OA

A qualidade da água fornecida pela Corsan em Alvorada nos últimos dias levou parte da população a buscar alternativas. Desde a semana passada moradores têm percebido o cheiro ruim e, em alguns casos, coloração escura na água que chega pelas torneiras.

O problema, segundo explicou o gerente da companhia em Alvorada, Carlos Leite, em entrevista ao jornal O Alvoradense na segunda-feira, é a grande quantidade de algas que se proliferaram nas proximidades da estação de captação de água no Rio Gravataí.

Como é comum em situações semelhantes, a aplicação de carvão mineral passou a ser utilizada pela empresa para tornar a água potável.

Quantidade de algas diminuiu nos últimos dias, o que deve elevar a qualidade da água | Foto: Jonathas Costa / O Alvoradense
Quantidade de algas diminuiu nos últimos dias, o que deve elevar a qualidade da água | Foto: Jonathas Costa / O Alvoradense

Ainda que a empresa garanta que a água que está saindo nas torneiras pode ser consumida normalmente, moradores estão optando pela compra de água mineral em mercados e distribuidoras, que perceberam aumento no consumo.

Em uma rede de supermercados da cidade, na tarde desta terça-feira (2), os repositores trabalhavam nas prateleiras, organizando as garrafas e aguardando a chegada do novo pedido dos galões, que haviam acabado pela manhã. Já as distribuidoras de bombas de 20 litros perceberam um pequeno aumento na comercialização diária, mas não chegou a comprometer o estoque.

Saúde nega surto de diarreia
Também desde o início da semana aumentou o relato de pessoas com diarreia em Alvorada. O secretário de Saúde de Alvorada, Paulo Manenti, contudo, afirma que os números registrados nas UBSs, PAM 8 e Hospital de Alvorada estão dentro da normalidade para este período do ano.

Fonte: O Alvoradense