Mesmo sem competições na cidade Alvorada possui a estrutura para receber as modalidades do esporte | Foto: Reprodução / OA

Esqueça aquele estereótipo de motoqueiros Harley Davidson, barbudos e trabalhados no couro preto. No seu imaginário, quando se fala em moto é nesse tipo de personagem que nos vem a cabeça. Homens grandes e mal encarados andando pelas estradas deixan-do seu cabelo ruivo e cacheado ao vento. Mas nosso assunto é bem diferente desse aí.

São apenas duas rodas que firmam o condutor, mas muita velocidade é posta naquele esporte. Trilhas, saltos, corridas, aventura, emoção. As doses que unem o homem à sua moto são feitas basicamente de muita coragem e, de preferência, bastante terra.

É isso que Alvorada está proporcionando para jovens fãs do motociclismo. O município possui uma pista de MotoCross (modalidade desportiva de motovelocidade, praticada sobre motocicletas de estilo off-road, são várias as categorias do Motocross, como: Arenacross, Trial e Enduro) que ainda é pouco explorado pelo morador alvoradense. Todas aquelas lombas e declínios feitos com barro e pedra é o local ideal para o aperfeiçoamento dos saltos de quem pratica o esporte.

Mas a pista não está sofrendo desleixo e nem abandono. Um grupo de amigos da cidade de Gravataí usa a pista de Alvorada para treinarem as suas manobras radicais.

Alex Sandro Mota, conhecido como Girinnu, de 29 anos, já pratica o “crosscountry” (desporto de equipa em que os atletas competem numa corrida em terreno aberto ou acidentado) há mais de 5 anos. “Conhecemos o local este ano e o adotamos para treino, pois existe duas pistas. Uma delas é de motocross e a outra de velocross, usado para “trilhar” com “atoleiros”, aclives, declives e trilhos. “Também, mapeamos um trecho de aproximadamente 4km para treino de corrida em trilhas” enfatiza Girinnu que todo o final de semana vêm a Alvorada com a sua moto para “aquecer os pneus”.

Girinnu conheceu o esporte por intermédio dos amigos. A sua fiel moto e o capacete são os aliados para a distração depois de uma semana pesada no trabalho.

O crosscountry que ele e os colegas praticam ainda é apenas um lazer, mas no futuro ele deseja participar de alguma prova de enduro no estado. As competições de motocross são geralmente realizadas em pistas fechadas com distâncias que podem chegar a 1,5 km.

Essas pistas incorporam características naturais do terreno com quantidades variadas de saltos, costelas (aequencia de lombadas e pequenos morros) e curvas. No Supercross a distância dos saltos é maior que as de pista de motocross. Alvorada ainda não recebe competições desse nível, mas já possui toda a estrutura das modalidades para se apresentar na Federação Gaúcha de Automobilismo. Além de ser um chamativo para apoiadores do esporte sobre rodas, também é um cartão de visitas para campeonatos diversos.

Por enquanto o que Girinnu comenta é que todos os domingos, ele, os amigos e outros amantes do capacete estão apostando suas corridas e se exibindo com as suas queridas motos ou quadriciclos na pista alvoradense, já que, se ela ainda não se torna uma pista oficial de competições, serve como uma boa aliada nos treinamentos do esporte.

Por mais que muitos pensem que é um esporte perigoso ou arriscado, quem pratica garante que é necessário e obrigatório usar todos os tipos de meios cuidadosos para a prática. Uniforme, capacete e as vezes protetores para as pernas. Aos que ficaram interessados na pista, ela fica na Rua Brasiliano de Morais, número 1282. Boa trilha!

Fonte: Laura Toscani / O Alvoradense