A coligação Alvorada de Um Novo Tempo afirmou por meio de sua assessoria que a investigação movida pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) sobre a suspeita do uso da maquina pública para angariar votos nas últimas semanas não tem fundamento.

A Ação do MPE ajuizada ontem é contra o prefeito João Carlos Brum, o candidato a prefeito pela coligação Alvorada de Um Novo Tempo, Professor Borba, seu vice na chapa, Dilson Rui Pila, e também contra cinco candidatos a vereador da cidade: Irmã Sara (PMDB), Juliano Rosseto (DEM), Leilane Schiavoni (PTB), José Arno Appolo (PMDB) e Gerson Luis (PTB).

A coligação, no entanto, afirmou que a prefeitura não pode parar durante o período eleitoral e que as britas colocadas em diversas ruas da cidade fazem parte de um projeto aprovado no período que o candidato Professor Borba ainda estava na Câmara.

Ainda por meio de sua assessoria, o candidato se disse orgulhoso de ter proposto o projeto no início do ano e que qualquer vereador poderia ter feito o mesmo no período. Para ele, Brum continua sendo prefeito da cidade independente de quem apoia na eleição.

A colocação de brita-base pela Smov gerou insatisfação entre a população. Isso porque a brita colocada em pelo menos 50 ruas da cidade tem complicado a vida de muitas pessoas, em especial, idosos e portadores de alguma dificuldade de locomoção, conforme a edição impressa d’O Alvoradense divulgou no mês passado.

Fonte: O Alvoradense