Ministro de saúde participou da Comissão de Seguridade Social e Família para discutir a situação do Coronavírus | Foto: Michel Jesus / Câmara dos Deputados / CP

O número de casos suspeitos de coronavírus no Rio Grande do Sul chegou a cinco nesta quarta-feira (5), conforme dados do Ministério da Saúde. O Estado é o que concentra o maior número de pacientes em observação até o momento no Brasil, seguido por São Paulo, com quatro; e Santa Catarina e Rio de Janeiro, que registram uma suspeita cada. No total, o País concentra 11 quadros suspeitos, ante os 13 registrados nessa terça.

Desses 11 pacientes, seis tiveram amostras testadas para vírus respiratórios comuns e deram negativo – foram, então, encaminhados para investigação especifíca. As outras cinco amostras estão sendo processadas pelo Laboratório Central e pela Fundação Oswaldo Cruz para investigação de vírus respiratórios comuns.

O diretor de Imunização e Doenças Transmissíveis da pasta, Júlio Henrique Rosa Croda, comentou sobre a maior incidência de casos suspeitos nas regiões Sul e Sudeste. “São os estados que mais ficam gripados. Como não tivemos casos confirmados de coronavírus, estamos falando de pessoas quer tiveram sintomas gripais. É normal em função do clima”, explicou.

Desde as primeiras suspeitas, 21 casos já foram descartados no Brasil, com tempo médio de dois dias de análise. Esses pacientes tiveram diagnóstico confirmado para outros vírus: influenza B (sete), influenza A, Metapneumovírus (dois), vírus sincicial respiratório (dois), vírus sincicial respiratório (um), Parainfluenza 1 (um), Picobirnaviridade, Rhinovirus (três) e Adenovírus (um). Outros dois deram negativo para o coronavírus a partir de um exame de reação da transcriptase reversa.