Depois de pedir 12 médicos e receber o indicativo, por parte do Ministério da Saúde, que receberia três profissionais, Alvorada ficará de fora da lista de municípios contemplados na primeira etapa do programa Mais Médicos, do Governo Federal.

O retrocesso ocorreu devido a problemas nas inscrições dos profissionais. O número preliminar chegou a 16.530 em todo o país, mas centenas delas continham irregularidades e, em outros casos, o médico e o Ministério não chegaram a um acordo sobre o local a ser atendido.

Nesta terça-feira (6) o ministro da saúde, Alexandre Padilha, divulgou a lista final dos selecionados. Os 938 médicos que estão nesta lista equivalem, em nível nacional, a 6% da demanda dos municípios, que apontaram a necessidade de 15.460 profissionais.

A estimativa inicial era enviar 107 deles só para o Rio Grande do Sul, em 35 cidades. O número caiu para 47, em 22 municípios. “Eles não estão dispostos a atender a população nas periferias e nas regiões mais carentes”, disse o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, que preside a Frente Nacional de Prefeitos. Para ele, houve “fraude” nas inscrições. “Mais de 14 mil médicos fraudaram a inscrição”, disse. “O que imperou foi o sentido corporativista das entidades.”

Fonte: O Alvoradense / Com informações da Agência Brasil