Foto: Soldado Albarello / BM / OA

O plano de imunização brasileiro contra a Covid-19 dividiu a população adulta em prioritários e não prioritários, sendo o grupo prioritário subdividido em 29 categorias, entre elas idosos, adultos com comorbidades, profissionais de saúde, pessoas em situação de rua, presos, trabalhadores do setor de educação, agentes de segurança, motoristas de ônibus e caminhoneiros.

A vacinação de idosos contra a Covid-19, maiores de 60 anos, está sendo concluída no Estado. Já iniciou a próxima fase do processo de imunização, com o critério não mais de idade e sim de profissão e, logo em seguida, pela condição de saúde.

Os profissionais da Saúde, Segurança e trabalhadores de cemitérios e funerárias estão sendo imunizados.

Se as regras do Ministério da Saúde não sofrerem nova alteração, os primeiros a serem beneficiados na nova etapa serão 1,1 milhão de gaúchos com doenças graves e crônicas.

Seguindo as diretrizes do Ministério, o Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 incluiu nesse grupo as seguintes doenças: diabetes, hipertensão grave, doença pulmonar crônica, renal, cardiovascular ou cerebrovascular, transplantados (órgãos sólidos), com doença falciforme, câncer, obesidade elevada e com HIV.

O grupo mais numeroso entre os prioritários é o de adultos de 18 a 59 anos com comorbidades (ou doenças pré-existentes), entre elas diabetes, síndrome de Down, fibrose cística, hipertensão, cirrose hepática, cardiopatias e pessoas com obesidade mórbida (IMC acima de 40).

Na sequência dos idosos e dos doentes crônicos, será a vez das pessoas com algum tipo de deficiência grave, em situação de rua, privadas de liberdade e categorias profissionais de áreas como educação (que podem ser antecipados, conforme debate em andamento em nível nacional) e transportes. Os empregados no setor industrial devem fechar os 5 milhões de gaúchos incluídos nos diferentes grupos prioritários.

Se seguir neste ritmo, o início da vacinação dos adultos não prioritários deve acontecer no segundo semestre de 2021, e os jovens com menos de 25 anos só em 2022.

- PUBLICIDADE -