Comunidade de escola no Jardim Algarve está preocupada com segurança no trânsito

Faixa de pedestre parcialmente apagada e mal localizada, além da alta velocidade, deixa pais e alunos inseguros

222
Foto: Leonardo Araújo / Especial / OA

A comunidade do Jardim Algarve, principalmente a que é atendida pela Escola Municipal Vaguenir Manoel de Fraga, está preocupada com a segurança do trânsito no entorno da escola.

Localizada na rua Jozino Liotti, antiga 33, trata-se de uma via de intenso movimento de carros e também de pedestres, principalmente nos horários de entrada e saída das aulas.

Há duas faixas de pedestres, que além de estarem parcialmente apagadas, não são respeitadas pelos transeuntes “por estarem mal localizadas”, avalia Leonardo Araújo, pai de uma menina de 9 anos que está no 4º ano do Ensino Fundamental.

Sobre a má localização das faixas, ele explica que uma delas é muito distante do portão de acesso e que a mais próxima da escola está no sentido inverso da moradia da maior parte dos alunos. “Poucas pessoas voltam para atravessar corretamente. A maioria, inclusive muitas crianças sozinhas, se aventuram entre os carros”. Além disso, os motoristas raramente respeitam a sinalização.

Outro problema é relacionado à velocidade máxima de 30 km/h, indicada em uma placa pichada, que também não é respeitada pelos veículos. “Hoje quase fui atropelado ao ajudar as crianças na travessia sobre a faixa, por um veículo que tentou fazer uma ultrapassagem”, relatou Leonardo. Também a placa que indica se tratar de área escolar, está deteriorada.

Administração Municipal

A redação do jornal O Alvoradense entrou em contato com a Prefeitura de Alvorada e aguarda a posição das autoridades sobre o assunto para publicar neste espaço.