Palestra no Salão Nobre da prefeitura esteve entre as atividades | Foto: Charles School / Especial / OA

Na véspera do Dia Nacional da Consciência Negra, comemora em 20 de novembro, Alvorada realizou seu primeiro seminário sobre a questão. Com o tema “Quanto mais melanina na pele, mais preconceito uma pessoa sofre”, esse é o Racismo Degrade, a participação no evento foi de cerca de 100 pessoas.

Na última quinta-feira (19) o Salão Nobre da Prefeitura recebeu os palestrantes Jovita da Cunha, professora, e o jornalista Oscar Henrique Cardoso. Ainda fez parte da mesa o comandante do 24º Batalhão da Policia Militar, Major Maurício Padilha e a secretária Juciane Martins, de Direitos Humanos, que juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde organizou o evento.

A professora Jovita é graduada em Letras Português e Literaturas da Língua Portuguesa, trabalhando em Alvorada há 30 anos. Em sua fala, fez uma reflexão sobre a cultura Afro-Brasileira e lembrou que a influência vai muito além da culinária e religião.

A luta do negro pela visibilidade e inclusão no mercado editorial brasileiro, foi o tema abordado por Oscar que, entre outras coisas, salientou momentos literários em que escritores enfraqueciam a presença do negro nas obras, como por exemplo na literatura do século XIX, com A Escrava Isaura, de Bernardo Guimarães.

Saúde
Entre as ações importantes à comunidade negra de Alvorada, lembrou a secretária Juciane, de Direitos Humanos, está a autodeclaração étnico-racial nos postos de saúde, com a finalidade de precisar a população negra do município. A iniciativa tem por objetivo a sensibilização e qualificação dos trabalhadores e gestores da saúde para a população negra, em combate ao racismo institucional.

Fonte: O Alvoradense