Comunidade mobilizada para preservar hortas e árvores frutíferas

Plantas estão às margens do arroio Feijó e moradores foram notificados para a retirada

100
Foto: Arquivo Pessoal / OA

Causou estranheza aos moradores da avenida Beira Rio, bairro Americana, serem notificados por fiscais da Prefeitura de Alvorada  para a retirada de hortas e árvores frutíferas plantadas nas margens do arroio Feijó.

O documento da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (SMPH) dá o prazo de 15 dias, a partir desta terça-feira (23) para seu cumprimento e informa como motivo a revitalização da área.

A comunidade se mobilizou imediatamente e, conforme informações preliminares da Defesa Civil e da SMPH, houve um engano, pois o pedido era de retirada das edificações erguidas nas margens do arroio, e não as plantas. Contudo, até o momento, não há posição oficial sobre as notificações.

Repercussão

Em suas redes sociais, o morador Jeferson Melo lembrou que o espaço estava abandonado e era utilizado para descarte de lixo, sem ação das autoridades para solucionar o problema. “Não tem calçamento, não tem asfalto, não tem rede de esgoto correta. Não tem segurança, não tem fiscalização do meio ambiente… Não vou nem falar das ENCHENTES (…) Há alguns anos começamos a plantar ali na beirada…uma boa horta e depois, no começo desse ano, então cercamos porque o bichos, cachorro, cavalos e vacas, pisavam nas hortas.

Pessoas boas fizeram pracinhas para as crianças… Fizeram lugar limpo e organizado pra colocar os cavalos de dia e outras iniciaram jardins e hortas”, relata.

Só a sua família plantou no espaço cinco amoreiras, sendo quatro já produzindo, uma figueira que chega a dois metros de altura, duas pitangueiras, cerca de 50 pés de milho, aipim, pimentão, raditi, couve, feijão…

A comunidade entrou em contato com autoridades e aguarda retorno, que deve acontecer neste quarta-feira (24), quando será definido o destino das plantas e do estilo de vida que os moradores acabaram desenvolvendo às margens do Feijó.