Atendimento acontece em todo o Brasil | Foto: CCS / Arquivo / OA

O calendário de vacinação das crianças conta com algumas mudanças em 2016. O Ministério da Saúde determinou as alterações devido à situação epidemiológica das doenças, que não se mantém igual ao longo dos anos.

A vacina da hepatite B passa a ser recomendada para todas as faixas etárias, em principal por conta do aumento da atividade sexual em idosos. Já a hepatite A pode ser aplicada em crianças a partir de um ano e três meses, e não mais antes do primeiro ano de idade.

A vacina Poliomielite deixará de ser oral dentro de alguns anos. A terceira dose se tornou injetável. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse é o método mais seguro para erradicar a doença. Enquanto isso, o combate a Meningococo C mudou a dose de aplicação de reforço para um ano.

A Pneumocócia 10 deixou de contar com uma terceira dose aos seis meses. Agora será uma dose aos dois e outra aos quatro meses, além de um reforço com um ano de idade. A vacina contra o HPV também perde este terceiro momento, e segue com somente duas doses, aos zero e seis meses.

Fonte: O Alvoradense