Cunha tem até quinta-feira para se defender na CCJ do processo de cassação | Foto: Agência Brasil / OA

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados acaba de concluir o processo de análise do relatório do deputado Marcos Rogério (DEM-RO), votando pela cassação do presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha. O placar ficou 11 votos favoráveis e 9 contrários.

A deputada Tia Eron, de quem se esperava ser o voto decisivo, votou favorável ao relatório de Marcos Rogério.

Cunha é acusado de quebra de decoro parlamentar por ter mentido à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, que não tinha contas no exterior.

Com a aprovação do relatório de Marcos Rogério, abre-se prazo de cinco dias úteis, a partir da publicação no Diário Oficial, para a defesa de Cunha recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que poderá opinar apenas sobre aspectos formais do relatório e não sobre o mérito.

Em seguida, o processo segue para o plenário da Câmara. Qualquer punição só poderá ser aprovada em definitivo com o voto de ao menos 257 dos 513 deputados.

Fonte: O Alvoradense / Com informações da Agência Brasil e G1