Conselho Tutelar não recebeu denúncia sobre maus-tratos no caso Mirella

Entidade confirma o recebimento de notificação do Hospital Conceição no início deste ano

132
Foto: Arquivo / OA

As investigações sobre a morte da criança identificada como Mirella Dias Franco, de três anos, ocorrida em 31 de maio, chegaram ao Conselho Tutelar de Alvorada. Na terça-feira (14) a Polícia Civil ouviu dois conselheiros, que confirmaram que houve uma notificação, por parte do Grupo Hospitalar Conceição, em janeiro de 2022, sobre suspeitas de maus-tratos à menina, após ela ser atendida com o braço quebrado, tendo sido levada pelo avô. A partir de então, foram feitas visitas ao endereço fornecido, sem sucesso.

Ao longo deste tempo, de acordo com a delegada Jeiselaure de Souza, responsável pelo caso, familiares e vizinhos suspeitavam de agressões contra a criança, mas nunca houve uma denúncia formal de maus-tratos. Restando apenas a notificação compulsória por suspeita de maus-tratos feita pelo hospital.

Ainda de acordo com a delegada, o Conselho Tutelar está colaborando com as investigações, apresentando a documentação solicitada.

Relembrando o caso, a menina de três anos chegou sem vida à UBS Aparecida em 31 de maio. A partir das investigações da Polícia Civil, foi emitido mandado de prisão preventiva contra a mãe e padrasto, que estão detidos desde 11 de junho.

A Prefeitura de Alvorada e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica) informam que não irão se manifestar e que estão prestando todo suporte necessário para auxiliar nas investigações.