Segundo a prefeitura obra está licenciada pela Smam e haverá compensação ambiental pelas árvores cortadas | Foto: Jonathas Costa / OA

O que era para ser uma ação comemorada pela comunidade causou polêmica nesta semana, quando agentes da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) iniciaram a poda de uma série de árvores em uma praça na esquina das ruas Antônio Carlos Jobim e Elmira Pereira de Oliveira, no Jardim Algarve, zona Sul da cidade.

A revolta dos moradores começou quando árvores, algumas delas de grande porte, começaram a ser cortadas para abrir espaço para a construção de uma Unidade Básica de Saúde.

Em fotos publicadas na internet, alguns moradores do bairro chegaram a protestar contra o que foi classificado pelos organizadores da ação como “assassinato da natureza”.

Orlando Kunzler, patrono do CTG Amaranto Pereira, que fica em frente ao local de onde as árvores foram retiradas, afirma que a comunidade ficou entristecida com a ação de corte de árvores no bairro. “Algumas árvores ali eram centenárias, não tinha a necessidade do corte, há espaço suficiente para o posto”, avalia Kunzler.

Segundo nota divulgada pela Prefeitura a obra vai custar cerca de R$ 520 mil reais. “Toda a vegetação que está sendo suprimida na área será compensada no entorno da UBS, incluindo o próprio local, além de outras pontos em praças e ao redor de ruas como a Elmira de Oliveira, Antonio Carlos Jobim e Zero Hora”, diz o texto.

Serão ao todo 300 mudas, garante o órgão, que também confirma que a obra está licenciada e aprovada pela pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Fonte: O Alvoradense