Idoso ficou irritado ao saber que pela terceira vez sua consulta seria remarcada | Foto: O Alvoradense
Idoso ficou irritado ao saber que pela terceira vez sua consulta seria remarcada | Foto: Especial/O Alvoradense

A demora no atendimento e as remarcações constantes de consulta levaram um idoso a cometer um ato extremo na tarde da terça-feira (1º) na sala de espera do Pam 8, no Centro.

Ao saber que o cardiologista que deveria atendê-lo faltou ao trabalho, o homem, de 70 anos, ficou irritado e acabou depredando parte do posto. Um vidro foi quebrado e muitos objetos foram revirados.

O caso ocorreu no final da tarde. Quem acompanhou a cena ficou espantado. O Alvoradense conversou com dois funcionários da unidade de saúde que, por medo de represálias, preferiram não se identificar.

Segundo eles, esta era a terceira vez que o idoso tinha a consulta remarcada. Há dois meses, por indisponibilidade de horários, o atendimento foi reagendado para o mês de agosto. Quando chegou o dia, no entanto, houve nova remarcação, desta vez para a tarde de ontem.

Ao saber que a consulta seria novamente adiada, desta vez para daqui cerca de um mês, o idoso, morador do bairro Jardim Alvorada, se descontrolou e acabou quebrando um dos vidros do guichê de atendimento.

A Brigada Militar foi acionada e precisou intervir. O idoso, que teve a identidade preservada, acabou detido e encaminhado a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) onde, segundo a polícia, foi registrado ocorrência por danos ao patrimônio público. Ele será indiciado.

A prefeitura, no entanto, contesta a informação e garante que, por parte do governo, não houve qualquer acusação contra o paciente. Por meio da Coordenadoria de Comunicação Social, a Secretaria de Saúde informou que desconhece o histórico do idoso e não pode garantir nem explicar os motivos pelas “supostas remarcações”.

Guichê de atendimento foi quebrado pelo homem, de 70 anos, que precisou ser contido pela Brigada Militar | Foto: Especial/O Alvoradense
Guichê de atendimento foi quebrado pelo homem, de 70 anos, que precisou ser contido pela Brigada Militar | Foto: Especial/O Alvoradense

Fonte: O Alvoradense