Cartaz informa sobre protesto de professores / Foto: Reprodução / OA

Estão marcados protestos em todo o Brasil para quarta-feira (15), em oposição ao projeto de Reforma da Previdência proposto pelo presidente Michel Temer e que será votada pelo Congresso Nacional. Se aprovada, exigirá 65 anos de idade (para homens e mulheres) e 49 anos de contribuição para o INSS para aposentadoria.

Trabalhadores das mais diversas categorias, estudantes e brasileiros descontentes com a proposta afirmam que será um dia de protestos e paralisação.

Em Alvorada, boa parte das escolas municipais e estaduais vai parar, aderindo à Greve Nacional da Educação. No caso dos professores do Estado, eles ainda exigem do governo Sartori o pagamento do salário e 13º em dia, além do cumprimento do Piso Salarial Nacional, que não é respeitado. As escolas também enfrentam atrasos no repasse de verbas.

As escolas estaduais que confirmaram a paralisação são Brigadeiro Antônio Sampaio, Salgado Filho, Nossa Senhora Aparecida, Júlio César Ribeiro de Souza, Mário Quintana e Gentil Viegas Cardoso.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (Sima) realiza um ato às 17h na praça central João Goulart. Há a garantia de que os postos de saúde e demais setores da Prefeitura atendem normalmente durante o dia.

Soul
Quando ao transporte coletivo neste Dia Nacional de Paralisação, a empresa de transporte público Soul, afirma que não há nenhuma comunicação oficial do Sindicato dos Rodoviários Metropolitano referente à paralisação. Sendo assim, está programada para operar normalmente.

Bancos
Já os bancos de Alvorada devem atender com normalidade.

Conforme os bancários, a orientação do sindicato é paralisar pela manhã. “Mas isso só represa o atendimento da tarde o que leva a maioria dos funcionários a optarem por não aderir”, sugere um funcionário do Banco do Brasil.

Fonte: O Alvoradense