Atividade em comemoração ao dia do capoeirista reuniu dezenas de crianças na Praça João Goulart na manhã de sábado | Foto: Jonathas Costa / OA

Os alunos das escolas municipais Alice de Carvalho, Padre Leo Seidel e Cecília Meireles se reuniram na manhã do sábado, dia 4, para uma roda de capoeira. O encontro marcou o Dia do Capoeirista.

Foram cerca de 70 alunos do professor Daniel Costa, conhecido como Pastel, que estiveram na Praça João Goulart participando da atividade. Todas as crianças fazem parte do programa Mais Educação, do Governo Federal, e não pagam nada para frequentar a oficina.

Alegre, Pastel conta que é a primeira vez que conseguiu reunir todos os seus alunos para uma roda de capoeira. Para as crianças, a oportunidade é motivo de festa. “Só sair de casa e vir para a praça já é um evento para eles”, completa o professor.

Pastel é um dos precursores da arte em Alvorada e um dos organizadores do movimento de capoeiragem dentro da cidade. Ele tem se dedicado há mais de 10 anos ao trabalho com as crianças das escolas municipais. Para o professor, o programa Mais Educação contribuiu para a disseminação da única arte marcial genuinamente brasileira entre os alunos – em especial aqueles que não poderiam arcar com os custos de frequentar uma academia. O trabalho social contribuiu para a demo-cratização do esporte.

Além de todo o trabalho corporal e cultural que é desenvolvido nas oficinas de capoeira realizadas nas escolas que possuem o programa Mais Educação, as crianças aprendem a trabalhar com valores que são ca-racterísticos de diversas artes marciais, entre eles a disciplina, o respeito, a coletividade e a solidarie-dade.

Além disso, o respeito aos mais velhos representados na roda pela figura do mestre é um dos pontos principais do ensinamento dado às crianças.

Pais e professores também acompanharam a grande roda que se formou na praça na manhã de sábado, entre as 9h e as 11h. Quem passava pelo local pode acompanhar as apresentações dos alunos dos projetos e alguns capoeiristas convidados.

Capoeira em Alvorada

O movimento da capoeira em Alvorada é organizado desde o começo da década de 90, com aulas realizadas em praças públicas e na antiga Academia Alvorada, que ficava na parada 51, atrás da loja Incosul.

O crescimento da capoeira na cidade se deu graças ao trabalho de professores como Pastel, que se dedicou a ensinar o esporte dentro das escolas, proporcionando aos alunos mais do que a prática da capoeira dentro do ambiente escolar, mas a democratização do aprendizado.

O professor Pastel é o capoeirista mais antigo de Alvorada, oriundo da primeira turma de capoeiristas da cidade. Para ele, o crescimento da capoeira em Alvorada trabalha a autoestima das crianças e mostra a elas e a quem está fora da cidade os pontos positivos da mesma.

No Mais Educação já são três anos de um trabalho crescente que visa a, além de tudo, mudar algumas perspectivas das crianças, mostrando a elas que a profissionalização em uma arte marcial é possível, mesmo nas periferias. Mas a mudança não acontece ape-nas para os jovens que participam das oficinas. À medida que conhece as pessoas e que entra em contato com as crianças, o professor passa a se dar conta das particularidades da cidade e a perceber o seu potencial e todos os seus pontos positivos. “O trabalho oportuniza isso: começamos a Alvorada sob outra ótica”, conclui.

Graças ao trabalho de professores como Pastel, Alvorada hoje se destaca no cenário nacional da capoeira, recebendo visitas de mestres reconhecidos internacionalmente.

Confira as imagens do evento que uniu dezenas de crianças na Praça João Goulart no sábado:

Fonte: Amanda Fernandes / O Alvoradense