Greve não é solução para os carteiros de Alvorada / Foto: Mariú Delanhese / OA

Os carteiros de Alvorada seguem mobilizados em busca de melhores condições de trabalho. Entre as reivindicações da categoria, que não paralisou mas pretende conscientizar a população com a distribuição de material informativo, está a imediata contratação de funcionários pela empresa e “não à privatização”.

“Há cerca de quatro anos nossas condições de trabalho eram bem melhores. Havia carteiros suficientes para atender a cidade e recebíamos uniformes regularmente entre outras coisas”, conta um funcionário do Centro de Distribuição Domiciliar (CDD) dos Correios de Alvorada. Nos últimos anos foram muitos os que saíram da empresa, muitos deles através de programas de demissões, e não houve renovação de quadro. Hoje, afirma ele, são 71 trabalhadores no CDD, contudo cerca de 30% estão afastados por férias ou licenças diversas. “Isso nos sobrecarrega e faz com que o serviço não seja bem feito”, admite.

O resultado são correspondências entregues com atraso e a reclamação por parte dos alvoradenses, que acabam prejudicados pelas condições de trabalho dos carteiros.

Sindicato
Os trabalhadores confeccionaram uma faixa que foi instalada em frente ao Centro, localizado na rua José Lins do Rego, bairro Maria Regina. E aguardam que o sindicato, que passa por mudanças em sua diretoria, retorne com mais panfletos que já começaram a ser entregues à população, onde a categoria expõe suas dificuldades.

“Não pensamos em parar, porque aí sim o trabalho se acumularia ainda mais. Queremos solução e, principalmente, que as pessoas saibam que a culpa não é dos carteiros”, desabafa uma trabalhadora dos Correios.

Fonte: O Alvoradense