Foto: Polícia Civil / Divulgação / OA

O furto de energia por estabelecimentos comerciais está no foco de combate da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio das Concessionárias e os Serviços Delegados (DRCP), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

Nos últimos meses foram muitas as diligências da Operação Blecaute em Alvorada, que acabaram com a prisão de empresários e comerciantes. A mais recente, e primeira ocorrência do ano de 2021 neste sentido, aconteceu na segunda-feira (18), quando Policiais Civis, coordenados pelo delegado Luciano Dias Peringer, prenderam o proprietário de uma empresa distribuidora e fonte de água, localizada na RS 118.

Acompanhados de técnicos da CEEE, identificaram no estabelecimento comercial uma ligação clandestina diretamente na rede de energia de média tensão. A energia também abastecia residências existentes no pátio da fábrica, que estava desativada desde dezembro passado. Conforme a CEEE, ainda que o furto tenha acontecido apenas em dezembro e janeiro, o volume de equipamentos com alto consumo indicaram uma quantidade significativa de energia. O proprietário foi preso em flagrante, acusado de furto, com penas de um a quatro anos de reclusão.

O delegado Peringer ressalta que o furto de energia, além de gerar perdas na rede de energia, com prejuízos à população, e diminuição de arrecadação de impostos, é uma prática perigosa e provoca instabilidade na rede energética, além de promover concorrência desleal: “aquele que mantem comércio regularmente não consegue competir de forma igualitária com aquele que se vê livre do custo de energia intrínseco à atividade econômica”.