Candidato do DEM, Douglas Martello, ficou com 11% dos votos válidos | Foto: Mariu Delanhese / OA

O meio político de Alvorada é unânime ao comentar que a maior surpresa das Eleições 2016 foi a votação do candidato Douglas Martello. Aos 30 anos, o jovem político que nunca havia concorrido a cargo eletivo conquistou 9.131 votos, 11,3% dos válidos.

Em entrevista ao jornal O Alvoradense, Douglas afirmou acreditar que pode seguir construindo uma Alvorada melhor e com mudanças, contribuindo com o próximo prefeito municipal, mas sem participação no governo.

Em reuniões da executiva e do diretório municipal, ocorridas na semana seguinte à eleição, o Democratas decidiu se manter como oposição ao governo Appolo, com postura independente na Câmara de Vereadores.

“Seremos sempre contra o aumento de salários dos políticos e também contra o aumento de impostos”, sentenciou. “Queremos respeitar a votação que tivemos, daqueles que apostaram na mudança proposta”.

Douglas diz não acreditar em muitas mudanças no governo que assume, devido não só à linha política da coligação, como também às dificuldades enfrentadas, principalmente as econômicas, que devem seguir em 2017.

Democratas
Douglas retomou a presidência do diretório municipal do DEM de Alvorada e espera desenvolver com os vereadores eleitos pela coligação e seus suplentes, uma política de postura crítica relacionada ao governo municipal que assume em 1º de janeiro.

Ele lembra que o seu partido tem representatividade junto ao Governo do Estado e Federal, o que é positivo para a cidade, mas salienta que segue com o objetivo “de romper um círculo de política que se perpetuou na cidade”.

“Esses 11% que nos confiaram seus votos mostram que demos início ao processo de mudança na cidade. As pessoas precisam se sentir representadas, precisam sair da neutralidade, e para isso vamos fomentar debates na sociedade para que, na próxima eleição, haja uma efetiva mudança nos partidos que conduzem a política em Alvorada.”

O ex-candidato e agora presidente municipal da sigla lembra que a meta de todo o partido é chegar à Prefeitura e destaca o crescimento do grupo político na cidade, que iniciou como PFL, sendo refundado em 2007, como Democratas. Em 2008 obtiveram 1.100 votos; em 2012, 2.600 e agora, em 2016, 9.131.

“Vamos manter elevado o moral da militância, pois o grupo dirigente segue motivado”, diz ele se referindo aos hoje 800 filiados. Segundo ele, o número cresceu mesmo após as eleições.

“Com base forte e um vereador”, Celmir Martello foi eleito para ocupar uma vaga no Legislativo, Douglas afirma que ao longos dos próximos quatro anos acontecerão “muitos movimentos rumo à mudança necessária na política alvoradense”.

Fonte: O Alvoradense