A economia brasileira cresceu 0,1% em 2014, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Produto Interno Bruto (PIB) – que representa a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – fechou o ano em R$ 5,52 trilhões, o que representa R$ 27.229,00 por pessoa.

Esse é o pior resultado desde 2009, quando a economia brasileira recuou 0,2% – em meio a uma crise internacional. Não se trata de um prejuízo, como aconteceu há cinco anos, mas sim de um avanço em ritmo lento. Em 2013, a economia havia crescido 2,7%.

No quarto trimestre de 2014, o PIB teve um crescimento de 0,3% em comparação ao terceiro trimestre do mesmo ano. Entretanto, analisando o mesmo período, no final do ano passado e no de 2013, houve uma queda de 0,2%.

O crescimento foi puxado pelos setores de serviços e de agropecuária. Houve retração na indústria, impedindo que o PIB fosse maior. O consumo familiar cresceu 0,9%, já o do governo aumentou em 1,3%. Tanto importações quanto exportações obtiveram queda de cerca de 1%. Os investimentos caíram 4,4% em 2014.

Novo cálculo
O cálculo que analisa o PIB do Brasil teve mudanças neste ano. Surgiram novos dados que não existiam na antiga metodologia, houve deslocamento e mudança de classificação de informações. O objetivo é deixar a medição mais precisa.

O novo cálculo segue os padrões internacionais, recomendados por órgãos como a Organização das Nações Unidas (ONU), a Operação para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e o Banco Mundial. A mudança visa apurar melhor a economia global.

Fonte: O Alvoradense / Com informações da Agência Brasil