No decorrer da última semana um dos assuntos que voltou às mesas de discussão foi o abuso sexual contra crianças e adolescentes. Depois do relato emocionado da apresentadora Maria da Graça Meneguel, a Xuxa, ao quadro O que Vi da Vida do programa dominical Fantástico, a mídia se voltou novamente para os alertas quanto ao assunto.

Durante a entrevista, a apresentadora afirmou que sofreu abuso sexual até aproximadamente os treze anos de idade, e levantou novamente uma discussão que jamais deveria ser esquecida ou deixada de lado. Segundo informações passadas pelo Conselho Tutelar de Alvorada, são confirmadas, por semana, pelo menos três casos de abuso contra crianças e adolescentes na cidade. Confirmadas são três, mas existem também aqueles casos em que há a mudança no comportamento da criança e pais, o Conselho Tutelar e escola se unem para descobrir o que está acontecendo com o jovem.

A violência, que atinge todas as faixas etárias, acontece normalmente dentro da própria casa da criança, com pessoas que são próximas às vitimas e têm a confiança das mesmas. Na maioria dos casos são pais, padastros, avôs ou tios que cometem o abuso.

Informações extraídas da página da Secretaria de Direitos Humanos da Presi-
dência da República afirmam que o Disque 100 recebeu, até abril deste ano, 34.142 denúncias de abuso ou exploração sexual, o que representa 71% de aumento em relação aos primeiros quatro meses de 2011.

Denúncias de abuso ou exploração sexual de crianças ou adolescentes chegam todos os dias ao Conselho Tutelar de Alvorada. Todas elas são analisadas e encaminhadas para investigação.

Crai

Quando um caso de abuso ou violência sexual é confirmado na cidade, a criança, junto com os familiares, é encaminhada ao Centro de Referência no Aten-dimento Infanto-Juvenil (Crai). Lá recebem acompanhamento de médicos, psicológos e assistentes sociais, a fim de amenizar os traumas causados pelo abuso.

O Crai, que funciona no sexto andar do Hospital Presidente Vargas, em Porto Alegre, fornece acompanhamento integral, desde o registro da ocorrência policial, preparação para a perícia médica, notificação ao Conselho Tutelar e avaliação clínica até o encaminhamento para tratamento terapêutico na rede de saúde do município de origem da vítima.

Denuncie

Suspeitas de abuso ou exploração sexual envolvendo crianças e adolescentes devem ser denunciadas.

A Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República criou em 2003 o Disque 100. Um serviço gratuito de denúncias ou pedidos de informação. O Disque 100 recebe ligações 24h por dia, todos os dias da semana, inclusive domingos e feriados.

As denúncias recebidas de forma anônima são encaminhadas para os conselhos tutelares e investigadas pelos municípios.
Em Alvorada, o Conselho Tutelar fica na Rua Contabilista Vitor Brum, número 87, e recebe denúncias através dos telefones 3483-1141 (de segunda a sexta, em horário comercial) e 9714-0876 (plantão).

A observação ainda é a melhor maneira de combater o abuso.

O Conselho Tutelar de Alvorada destaca a importância que pais e professores devem ter em relação às crianças.

Qualquer alteração no comportamento pode ser um sinal de alerta.
Silêncios, mudanças de temperamento, aumento da agressividade ou faltas de atenção na escola ou no convívio social jamais devem ser ignoradas. Fique atento aos sinais.

 

Fonte: Amanda Fernandes / O Alvoradense