Durante a coletiva de imprensa os participantes detalharam o trabalho de investigações. Foto: Pedro Corazza/ MP/ OA

O Ministério Público denunciou nesta sexta-feira policiais envolvidos em dois incêndios criminosos em Alvorada e na elaboração de um vídeo com ameaças ao governador do Estado, Tarso Genro. Os detalhes das investigações, realizadas pela Promotoria Criminal de Alvorada, Corregedoria-Geral da BM e Polícia Civil, foram apresentados à imprensa, durante coletiva.

Os quatro policiais militares, Marcelo Machado Maier, Fernando de Souza e Silva, Renata Molina Tavares e João Carlos de Souza poderão pegar penas que podem chegar a nove anos de prisão e os PM’s ainda ativos serão excluídos dos quadros da Brigada Militar.

Na denuncia contra os policiais foram narrados os crimes de queima de pneus nos dias 26 de agosto e 5 de setembro de 2011, como forma de protesto por reajuste salarial e a participação de três dos denunciados na formulação de um vídeo, no qual Marcelo Maier e Fernando Silva aparecem encapuzados e fardados, fazendo ameaças ao governador Tarso Genro, pressionando por melhor remuneração e condições de trabalho.

As investigações incluíram interceptações telefônicas, busca e apreensão de documentos e realização de uma perícia criminal inédita no vídeo, permitindo o cruzamento de dados como voz e postura dos participantes, o que facilitou a identificação dos policiais.

Estavam presentes, o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Marcelo Dornelles; a promotora de Alvorada Raquel Isotton; o promotor de Controle Externo da Atividade Policial Marcos Centeno; e o promotor-assessor Adriano Marmitt.

Atualmente,  os acusados Marcelo Maier e Fernando Silva estão presos por pertencerem ao Pelotão da Morte, uma chacina em 13 de julho do ano passado em Alvorada, quando quatro pessoas foram mortas.

Fonte: O Alvoradense