As oito escolas de samba do Grupo Especial decidiram realizar o Carnaval deste ano mesmo com o corte nos repasses da Prefeitura. A decisão, no entanto, não agradou o presidente da Associação Recreativa de Carnavalescos de Alvorada (Arca), Antônio Namor, que acabou renunciando.

Representantes de cinco escolas decidiram votar sobre a viabilidade de realização dos desfiles após o Governo anunciar que cada agremiação receberia R$ 14 mil. O valor é 35% menor do que no ano anterior, quando cada escola recebeu R$ 22 mil.

Com três votos a dois, os presidentes das agremiações decidiram desfilar. As datas, que inicialmente eram entre os dias 22 e 24 de Fevereiro, acabaram sendo reduzidas. Bem-Vinda, Tradição Alada, Deixa Falar, Associação Periferia e Trevo de Ouro devem desfilar no sábado, dia 23, e domingo, dia 24, dividindo espaço na avenida com a Algarve do Futuro, Unidos de Vila Intersul e Sociedade Cultural, Beneficente e Recreativa Estrela do Umbu.

Após a renúncia de Namor, quem responde pela associação é o vice-presidente Jorge Henrique Teixeira. Para ele, o corte no valor do cachê será um desafio para as escolas. “Sabemos disso (do desafio), mas voltamos atrás em respeito ao povo alvoradense que prestigia nosso Carnaval”, disse.

Somados os gatos com a instalação da estrutura para receber o público, estimado em 40 mil pessoas, a aparelhagem de som e os cachês, o investimento público na realização do evento supera os R$ 220 mil.

Em 2012 os desfiles levaram 37 mil pessoas para a avenida em cada dia do evento, que teve como campeã a escola Bem-Vinda.

Namor: “Lamentavelmente esse carnaval será horrível”

Para o agora ex-presidente da Arca, a decisão de voltar atrás foi um erro. Em entrevista a’O Alvoradense na sexta-feira passada, dia 25, Namor afirmou que caso a prefeitura não aumentasse a verba destinada às escolas de samba os desfiles seriam cancelados. “Se for para realizar um evento sem o nível do ano anterior, então melhor não fazer nada”, afirmou.

Com a mudança na postura das escolas, Namor se sentiu desautorizado. “Não tem condições de realizar um desfile com estas condições”, disse.

O ex-presidente foi além: “Lamentavelmente esse carnaval será horrível”.

Internautas se mostraram contra a realização do Carnaval

Em enquete realizada no site d’O Alvoradense a maioria dos internautas se mostraram contra a realizam do Carnaval neste ano. Dos 148 participantes, 46% afirmaram que todo o valor da verba para a realização dos desfiles deveria ser revertido para outras áreas. Para eles, no momento o Carnaval não é prioridade.

Outros 32% dos votantes discordavam. A parcela acreditava que a prefeitura deveria repassar os valores necessários para que aconteçam os desfiles, neste caso, os R$ 22 mil. Carnaval é cultura popular, definiram.

Já para 22% dos participantes as escolas deveriam entender a situação delicada dos cofres públicos realizando um desfile mais econômico, o que na prática acabou sendo decidido pelas agremiações.

Fonte: O Alvoradense