Estabelecimento emite nota sobre crime ocorrido no final de semana

Funcionário da empresa, inaugurada há cerca de três meses, estava de folga no momento da agressão

839
Foto: Reprodução / OA

Frente ao ocorrido no sábado (02), quando Wagner Lovato foi agredido em frente ao Shopping das Carnes, e morreu no dia seguinte em consequência de traumatismo craniano, a empresa emitiu nota em que esclarece que o funcionário foi afastado e que estava de folga no momento da agressão. Diz ainda que está auxiliando as autoridades na elucidação dos fatos e se coloca a disposição da família da vítima. Confira a nota na íntegra:

 “Nós, do Shopping das Carnes, lamentamos profundamente a morte de Wagner de Oliveira Lovato, confirmada ontem, dia 3 de outubro.

Estamos adotando todas as medidas possíveis para auxiliar as autoridades na apuração das responsabilidades neste ato criminoso em frente ao estabelecimento em Alvorada. O funcionário envolvido neste episódio inaceitável, que não estava em atividade de trabalho no momento do crime, foi afastado pela empresa e está sob custódia da Polícia.

Desde o ocorrido, estamos buscando contato com a família da vítima para dar o suporte necessário. Compreendemos o momento de dor e de reserva e respeitamos o tempo dos familiares. Estamos à disposição para que esse diálogo aconteça.

Em respeito a Wagner de Oliveira Lovato e a sua família, a loja estará fechada nesta segunda-feira (04/10).

O Shopping das Carnes abriu as portas há apenas três meses e emprega 32 funcionários instruídos a atender com respeito e atenção ao cliente. Estamos profundamente consternados com este episódio inexplicável. Não toleramos, nem admitimos, nenhum tipo de violência.

Alvorada, 04 de outubro de 2021”.

Atualizando informações

Conforme testemunhas, as agressões iniciaram após Wagner reclamar do preço dos produtos. Ele, que vendia salgados, entrou no açougue no final de seu dia de trabalho para comprar carne e fez comentários em tom de brincadeira sobre os valores.

Foi neste momento, já na calçada, que um dos acusados começou a agredi-lo. Ele estaria acompanhando o gerente do local, que estava de folga. Wagner recebeu um soco do primeiro homem, que o deixou desacordado, sendo que em seguida o gerente lhe deu um chute na cabeça. A Brigada Militar foi acionada e chamou o Samu. Os agressores foram presos e a vítima levada à UTI do Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre, com traumatismo craniano, onde morreu na noite de domingo (3).

Conforme a Polícia Civil, os suspeitos apresentavam sinais de embriaguez. O delegado Edimar de Souza, titular da Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa de Alvorada afirmou que, na esfera penal, o estabelecimento não será investigado, por não ter relação com o crime. Para confirmar a informação, as câmeras de segurança serão analisadas pela equipe de investigação.

Os dois suspeitos confirmaram que Wagner entrou e saiu do estabelecimento sem comprar nada. O gerente teria perguntado o porquê e foi quando ele teria reclamado do preço e começaram as agressões.

O comandante do 24º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente coronel Paulo Eduardo Dutra, confirma que as cenas da agressão são violentas.

Wagner Lovato, que tinha uma agropecuária na rua Oceania, fechada por conta da pandemia, trabalhou como taxista e, ultimamente vendia salgados na avenida. Ele deixa esposa e três filhos, de 22 e quatro anos e um bebê de dois meses.