A taxa de desemprego total na Região Metropolitana de Porto Alegre continua estável, passando de 6,9% no mês de setembro para 7,0% em outubro. O número total de pessoas desempregadas foi estimado em 132 mil, apenas mil a mais do que no mês anterior, conforme os resultados da pesquisa divulgada nesta quarta-feira na Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Social do Governo do Estado.

Ocorreram retrações de 4,2% no nível ocupacional na construção, com a redução de 5 mil ocupados; e de 1,6% no setor de serviços, com menos 16 mil ocupados. A redução foi de 1,4% no comércio e na reparação de veículos automotores e motocicletas, com menos 5 mil ocupados. Enquanto isso, na indústria de transformação aconteceu um crescimento de 2,7%, com o acréscimo de mais 8 mil ocupados. A pesquisa também revelou decréscimo de 2,2%, com menos 23 mil pessoas, no setor privado, e de 1,4%, com menos 3 mil ocupados, no setor público.

Entre as regiões metropolitanas pesquisadas, a de Porto Alegre ficou em segundo lugar, perdendo apenas para Belo Horizonte que obteve uma taxa de desemprego total de 5,1%. Fortaleza ficou com 7,9%, São Paulo com 10,9%, Distrito Federal com 11,4%, Recife com 12,2% e Salvador com 18,6%.

Os dados foram apresentados pela supervisora da pesquisa pela Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social, Irene Galeazzi, com a participação do presidente da Fundação, Heitor Gularte. “A qualificação de 68 mil trabalhadores no Rio Grande do Sul até o final deste ano, deverá contribuir para tirar as pessoas da situação de desemprego não apenas na Região Metropolitana de Porto Alegre”, afirmou Gularte.

Fonte: O Alvoradense