Ilustração / OA

Com a piora dos indicadores de internações e propagação de coronavírus, o mapa preliminar da 42ª rodada do Distanciamento Controlado, divulgado nesta sexta-feira (19), apresentou recorde de bandeiras pretas, que indicam altíssimo risco para esgotamento da capacidade hospitalar e velocidade de disseminação do vírus.

Onze das 21 regiões foram previamente classificadas com o nível mais alto previsto no sistema de enfrentamento à pandemia, o que representa 68,4% da população gaúcha, ou seja, mais de dois terços.

Até agora o Estado só havia tido duas rodadas com bandeira preta: na 32ª semana (de 15 a 21 de dezembro), com duas regiões, e na 35ª rodada (de 5 a 11 de janeiro), com uma bandeira preta.

A região de Porto Alegre, assim como Canoas e Novo Hamburgo, entre outras, foram classificadas em bandeira preta, que indica risco máximo epidemiológico.

Por conta da subnotificação já esperada por parte dos hospitais em períodos de feriado prolongado, como o Carnaval, o Gabinete de Crise optou por utilizar os mesmos dados de hospitalizações registradas na semana passada.

Na rodada anterior, foram registradas 1.030 hospitalizações ante 851 desta semana, número que não condiz com o cenário dos últimos dias. Esse dado, somado aos demais indicadores atualizados, resultou em grande parte das regiões em bandeira preta.

Recursos e cogestão

O mapa pode modificar, pois as associações regionais que desejarem enviar pedido de reconsideração ao mapa preliminar tem ainda o prazo de 36 horas para encaminhar a solicitação ao Governo do Estado.

Encerrado o prazo no domingo (21), será publicada informação no portal de notícias do Governo do Estado com o número de recursos recebidos. Os pedidos serão analisados pelo Gabinete de Crise, e o mapa definitivo, divulgado às 16h30 de segunda-feira (22), terá vigência de 23 de fevereiro a 1º de março.

Fonte: Governo do Estado RS