Claudete chegou ao Ginásio na manhã desta terça-feria | Foto: Jonathas Costa/OA
Claudete chegou ao Ginásio na manhã desta terça-feria | Foto: Jonathas Costa/OA

Em meio à água que não para de subir, equipes de assistentes sociais tentam convencer os moradores das regiões mais afetadas pelas enchentes no bairro Americana a deixarem suas casas.

O trabalho não é fácil. As equipes enfrentam a desconfiança dos moradores, que têm medo de deixar o pouco que sobrou vulnerável ao ataque de saqueadores.

Claudete Rodrigues, no entanto, não teve escolha. A água invadiu sua casa, na rua Gaspar Martins, e não deixou escolha. Ao lado das filhas, de 5 e 19 anos, e da mãe, de 64, Claudete foi levada na manhã desta terça-feira (27) para o abrigo improvisado pela prefeitura no Ginásio Tancredo Neves.

No local há colchões e comida. Equipes dos Direitos Humanos ajudam a encontrar doações de peças de roupas na Loja Social.

A expectativa da prefeitura é que mais pessoas sejam realocadas no Ginásio, que foi cedido pela secretaria de Cultura e teve cancelado todas as atividades artísticas e esportivas que são praticadas ao longo da semana no local.

Dona Teresinha, de 64 anos, vai passar a noite no Ginásio Tancredo Neves, após água invadir sua casa | Foto: Jonathas Costa/OA
Dona Teresinha, de 64 anos, vai passar a noite no Ginásio Tancredo Neves, após água invadir sua casa | Foto: Jonathas Costa/OA

Fonte: O Alvoradense