Encontro aconteceu na manhã desta sexta-feira / Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / OA

Entre e 150 e 200 integrantes da Força Nacional chegam a Porto Alegre nos próximos dias no auxílio às autoridades gaúchas no combate à violência A ação é resultado do pedido do governador José Ivo Sartori ao presidente interino Michel Temes, feito na manhã desta sexta-feira (26) em Brasília, quando o governador pediu ainda a construção de uma penitenciária federal no Rio Grande do Sul e delegacias estaduais. Além do efetivo, também foram solicitadas armas, equipamentos e 30 viaturas.

Esse reforço será destinado à guarda externa de presídios, liberando os Policiais Militares para o policiamento ostensivo. Mesmo tendo chamado recentemente 752 policiais militares e 224 policiais civis aprovados em concurso, Sartori destacou na audiência com Temer a limitação financeira que o obriga a buscar recursos para providências imediatas. “Apesar dos investimentos já feitos e do Plano de Segurança lançado como resultado de grande empenho, o quadro de pessoal é insuficiente para frear a atual situação”, declarou.

Nesta quinta-feira (25) o secretário Estadual da Segurança Pública, Wantuir Jacini, pediu exoneração do cargo e, em seguida, foi criado um gabinete de crise foi criado, sendo coordenado pelo vice-governador José Paulo Cairoli.

A crise
Um crime ocorrido na tarde de quinta-feira (25) em Porto Alegre, agravou a crise no Governo do Estado. Por volta das 18h30 um homem anunciou um assalto a uma mulher de 44 anos que estava no carro, esperando o filho na saída da escola. Testemunhas acreditam que o homem tenha se assustado com algum movimento dela ao tentar tirar o cinto de segurança. Cristine Fagundes foi atingida na cabeça, na frente da filha de 17 anos que correu em busca de socorro e nada sofreu.

O homem fugiu acompanhado de outras três pessoas que o aguardavam em um Palio vermelho. Ainda na noite de quinta-feira a Polícia Civil anunciou a prisão de cinco suspeitos, todos com antecedentes criminais, pela morte de mulher em frente ao Colégio Dom Bosco. Os detidos vinham participando de uma série de crimes e foram flagrados durantes buscas da polícia, com auxílio da Brigada Militar.

Além desse homicídio, nos últimos dias a região metropolitana tem registrado crimes violentos como o ocorrido a quarta-feira (24) quando um homem de 37 anos foi executado na entrada do Hospital São Lucas da PUC; na terça-feira três mulheres foram assassinadas em Alvorada e a polícia acredita que o triplo homicídio tenha ligação com a morte de um casal, também na terça-feira.

Fonte: O Alvoradense