CRVA 0023 teve suas atividades suspensas por determinação judicial | Foto: MP / Divulgação / Especial OA
CRVA 0023 teve suas atividades suspensas por determinação judicial | Foto: MP / Divulgação / Especial OA

A Operação Rousseau III deflagrada ontem (27) pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) cumpriu 25 mandatos de busca e apreensão contra 117 pessoas denunciadas pela fraude.

Dezessete dos 25 mandatos foram cumpridos em Alvorada. Todos os 117 envolvidos foram indiciados pelos crimes de formação de quadrilha e inserção de dados falsos em sistema de informações públicas.

De acordo com as investigações, eles fraudaram documentos de 173 veículos que haviam sido comprados em leilões em São Paulo entre 2010 e 2013. Foram atribuídas aos acusados 546 condutas criminosas.

Entenda a Fraude
Conforme afirmou o Promotor de Justiça João Beltrame, os veículos acidentados vendidos por seguradoras em leilões, em São Paulo, eram comprados por empresários ou particulares do Rio Grande do Sul.

Depois de consertados e inspecionados por mecânicas autorizadas pelo InMetro, seguiam para seus novos donos, com a anotação no Certificado de Segurança Veicular (CSV) de que o veículo era sinistrado.

Em Alvorada, no CRVA 0023, essa anotação era retirada dos documentos do veiculo. O montante arrecadado ao longo destes três anos de fraude chega a R$1,285 milhão.

Além dos mandados, 12 pessoas, credenciadas ao Detran, bem como o CRVA 0023, tiveram suas atividades suspensas por determinação judicial.

Foram analisados os documentos de 150 mil veículos. Desses, cinco mil, em 53 cidades gaúchas apresentaram indícios de fraude e também serão investigados pelo Ministério Público.

Fonte: O Alvoradense