Fumaça das queimadas deixa céu cinzento

Fenômeno se intensifica no nascer e por do sol

524

Conforme a meteorologia, esta sexta-feira (11) era pra ser de céu azul, com poucas nuvens. Mas o que se vê é um dia cinza, coberto por uma fumaça que vem das queimadas da região amazônica, reforçadas pelo fogo no Pantanal brasileiro e também na Bolívia, Paraguai e norte da Argentina.

Nesta manhã, as imagens de satélite mostravam um denso corredor de fumaça pelo interior do continente, a leste dos estados, avançando até o Rio Grande do Sul.

É possível, ainda, ver a fumaça avançando sobre o Oceano Atlântico na costa do Sul e do Sudeste do Brasil, distinguindo-se das nuvens baixas, brancas, pelo tom escuro da fumaça.

O que acontece no Estado é que, sob a influência de uma corrente de jato em baixos níveis da atmosfera, um corredor de vento a cerca de 1.500 metros de altitude, que se origina na Bolívia, e está trazendo muita fumaça da região amazônica, do Pantanal e dos países vizinhos. Ontem, no Oeste e no Norte do RS, sob influência destas correntes de vento em altitude, era possível verificar a presença da fumaça na atmosfera.

Transportada por correntes de vento, a fumaça, com menor densidade, consegue chegar também aos litorais de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Qualidade do ar

Como a fumaça está avançando em altitude e não perto da superfície, os índices de qualidade do ar não sofrem uma deterioração, sendo notada apenas pela alteração da cor do céu, especialmente no amanhecer e fim da tarde.